Viaturas da polícia estão estacionadas na entrada de supermercados de Palermo, depois que um grupo de consumidores se recusou a pagar por suas compras.

Segundo o jornal La Repubblica apurou, um grupo privado de uma rede social estaria incentivando a outros que promovam ataques e saques a lojas e supermercados da capital siciliana.

Prevenir agitações no chamado Mezzogiorno, a região sul subdesenvolvida, tornou-se a principal prioridade do governo, de acordo com autoridades italianas.

"Precisamos agir rápido, mais do que rápido", disse o Prefeito de Palermo, Leoluca Orlando, ao jornal La Stampa. "O sofrimento pode se transformar em violência".

Enquanto o Primeiro-Ministro Giuseppe Conte luta para manter a sociedade italiana unida durante um bloqueio (lockdown) nacional, o sul do país, em depressão econômica, está se transformando em um barril de pólvora.

Os danos econômicos causados pelo bloqueio levaram a região à beira de um colapso.

O bloqueio atingiu 4 milhões de italianos que trabalham na economia informal de maneira particularmente difícil, pois não recebem um salário regular e têm dificuldade em acessar os benefícios de desemprego.

Muitos deles estão concentrados no sul.

"Muitas pessoas vivem o dia-a-dia fazendo trabalhos esporádicos, como descarregar caminhões nos mercados, e estão com problemas", disse Stefano Paoloni, líder sindical da polícia. "Precisamos estar em alerta para ver se há crime organizado por trás da agitação social".

Giuseppe Provenzano, do gabinete de Conte, disse que o risco é o crime organizado intervir para prestar assistência aos necessitados, preenchendo a lacuna deixada pelo Estado.

Como se não fossem muitos os problemas, a maior companhia marítima que abastece a Sicília, Sardenha e outras ilhas menores da região informou na segunda-feira (30) que irá interromper todas as conexões por dificuldades financeiras.

O governo disse em comunicado que garantirá que alimentos, medicamentos e outros bens vitais sejam entregues.

* Com informações La Repubblica, La Stampa, Bloomberg

Veja também: