Leão Serva é colunista da Folha, professor de ética no jornalismo na ESPM, e autor de vários livros, em especial,  Jornalismo e Desinformação.

Sobre a sua contratação para comandar o jornalismo da TV Cultura, foi sucinto: “Fiquei muito honrado com o convite e espero fazer jus ao tremendo desafio".

Ao longo de seus 40 anos no jornalismo, Serva atuou na edição e direção de veículos como Folha de S.Paulo, Jornal da Tarde, revista Placar, portal iG, Lance! e Diário de S.Paulo. Além disso, foi colunista de temas ligados a urbanismo na rádio CBN e na Folha, onde produz reportagens sobre tribos indígenas da Amazônia, acompanhando o fotógrafo Sebastião Salgado.

Para o presidente da TV Cultura, José Roberto Maluf, em tempos de avalanche de fake news, a tendência é que as pessoas se aproximem de marcas, personalidades e empresas que não só transmitam confiança, mas façam jus a essa confiança.

Além de Serva, Maluf contratou as jornalistas Karyn Bravo e Daniela Lima.

Karyn Bravo estreou na segunda-feira (29), ancorando o novo Jornal da Cultura com Ana Paula Couto. O programa, com nova abertura e cenário, aprofundou o noticiário com reportagens especiais.

Karyn passou doze anos trabalhando no SBT. Assumiu a bancada do SBT Brasil logo que chegou à emissora, entrevistou candidatos à Presidência, sabatinou políticos ao lado de Carlos Nascimento e, por fim, foi escolhida para ancorar o SBT Notícias.

Aos 33 anos, Daniela Lima será a 14ª profissional a ocupar a função de âncora da bancada do Roda Viva – o melhor exemplo de longevidade de um programa de entrevistas de prestígio na história da televisão do País –, no ar desde 1986.

Daniela vai acumular a mediação das entrevistas com a edição da coluna Painel da Folha. Antes de trabalhar na Folha de S. Paulo, Daniela passou pelas redações do jornal Correio Braziliense e Congresso em Foco.

"É uma responsabilidade muito grande, o Roda Viva tem uma história", diz Daniela. "Quero fazer com pluralidade, abrindo a roda para o diálogo num momento do País em que as pessoas estão cada vez mais cerradas nas suas próprias opiniões."

A nova apresentadora vê o programa como uma oportunidade de questionamento aberto, sem interferências, permitindo a entrevistados e entrevistadores clarear pontos, apontar incorreções, sanar dúvidas e até firmar posições.

Dentro do pacote de mudanças em curso na TV Cultura, que está sob o comando de Maluf desde o final de maio, Andresa Boni foi nomeada a nova apresentadora do Opinião Nacional, dividindo a bancada do  programa de entrevistas com o economista e filósofo Joel Pinheiro.

A TV Cultura é financiada pelo poder público, mas dirigida pela sociedade civil por meio da Fundação Padre Anchieta.

* Com informações da Folha de S.Paulo e TV Cultura.