Logo no início da pandemia, em março de 2020, o ator e dramaturgo Juca de Oliveira enfrentou a frustração de ver a comédia Mãos Limpas sair de cartaz, que vinha lotando o Teatro Renaissance desde setembro de 2019.

"Foi a pior sensação da minha vida bloquear um espetáculo que garantia o sustento de uma equipe e perceber que a paralisação se arrastaria por muito tempo", recorda. "E, claro, logo veio o medo de nunca mais subir em um palco e, para quem tem 86 anos, essa espera ganhou outro significado".

Para comemorar a reinauguração do Teatro Opus Frei Caneca, agora sob direção da Opus Entretenimento, Juca de Oliveira relança um clássico de sua dramaturgia.

A peça Flor do Meu Bem-Querer montada em 2003 não poupava nomes como os do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, e do então recém-empossado Luiz Inácio Lula da Silva, e teve temporada de muito sucesso no antigo Teatro Cultura Artística. Reescrita pelo autor Juca de Oliveira e com direção de Léo Stefanini, a versão atualizada promete trazer muitas risadas para o público.

Juca desconversa sobre as provocações. "Neste momento, precisamos de solidariedade, fugir de agressões, não existe nenhum cutucão no fígado de ninguém", alerta o autor, que está no palco na pele do caipira Nhô Roque.

O personagem é um camponês batalhador, casado com Dos Anjos (Rosi Campos), que criou a afilhada Flor (Natallia Rodrigues). A garota descobre que está grávida e são remotas as chances de ter a paternidade do filho reconhecida pelo senador Zé Otávio (Léo Stefanini), o dono da Fazenda Bem-Querer. A fazenda é vendida e eles precisam sair, o que é em si, uma enorme tragédia.

Os políticos citados são poucos e incluem Bolsonaro, Lula e Alckmin. "As referências ao noticiário fazem parte do universo do Juca, mas a peça não tem discurso ou defesa partidária, o importante é sensibilizar a plateia", diz Stefanini.

No que depender de Juca e Stefanini, a temporada de A Flor do Meu Bem-Querer, que não conta com qualquer tipo de patrocínio, será longa.

"A coisa começou a degringolar com a entrada da Lei Rouanet porque todo mundo garantia um dinheiro no começo do projeto e se esquecia de que o importante é manter a plateia lotada de pagantes porque só assim todos garantem comida na mesa", lembra Juca.

Elenco

Nhô Roque: Juca de Oliveira
Dos Anjos: Rosi Campos
Senador Zé Otávio: Léo Stefanini
Chico Lima: Nilton Bicudo
Vanessa: Juliana Araripe  
Flor: Natallia Rodrigues
Jacinto: Daniel Warren
Tati (off): Angela Dippe

Ficha técnica

Texto: Juca de Oliveira
Direção: Léo Stefanini
Diretor assistente: Mauricio Guilherme

Cenário: Léo Stefanini, Janne Saviani e Wil Siqueira

Cenotécnicos: Wil Siqueira e Rafael Junqueira

Projeção: Luciana Ferraz e Otavio Juliano- Interface Filmes
Figurino: Isabella Oliveira
Iluminação: Cleber Eli
Trilha Sonora: Roberto Lazzarini
Fotografia: João Caldas Fº
Assistente de Fotografia: Andréia Machado
Direção de Produção: Keila Mégda Blascke

Teatro Opus Frei Caneca
A Flor do Meu Bem-Querer
Sessões: Quinta-feira, 20h; Sexta-feira, 20h; Sábado, 19h; Domingo, 18h
Endereço: Shopping Frei Caneca - R. Frei Caneca, 569 - Consolação, São Paulo/SP
Duração: 90 minutos
Classificação Etária: Livre. Maiores de 14 anos podem entrar desacompanhados. Menores de 14 anos somente acompanhados dos pais ou responsável legal.
Ingresso sem taxa de serviço: bilheteria do Teatro Opus Frei Caneca

Capacidade total: 600 lugares

Meia-Entrada:

  • Idosos: (com idade igual ou superior a 60 anos): Lei Federal nº 10.741/2003 (Estatuto do Idoso) – obrigatória apresentação de identidade ou documento oficial com foto que comprove a sua condição;
  • Estudantes: Os estudantes terão direito ao benefício da meia-entrada mediante a apresentação da CIE no momento da aquisição do ingresso e na portaria ou na entrada do local de realização do evento. A CIE deverá ser expedida por: I - Associação Nacional de Pós-Graduandos - ANPG; II – União Nacional dos Estudantes - UNE; III - União Brasileira dos Estudantes Secundaristas - Ubes; IV - Entidades estaduais e municipais; V - Diretórios Centrais dos Estudantes - DCE; e VI - Centros e Diretórios Acadêmicos, de nível médio e superior.  Os elementos indispensáveis da CIE são: I - nome completo e data de nascimento do estudante; II - foto recente do estudante; III - nome da instituição de ensino na qual o estudante esteja matriculado; IV - grau de escolaridade; e V - data de validade até o dia 31 de março do ano subsequente ao de sua expedição.
    Para os estudantes que ainda aguardam o recebimento da carteira, será aceito o Documento Provisório, que possui validade de 30 dias. O mesmo deve ser apresentado juntamente a um documento de identidade oficial com foto.
  • crianças e jovens de 24 meses a 15 anos de idade: Benefício concedido pelo Teatro, mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.
  • pessoas com deficiência e acompanhante quando necessário: Conforme a Lei Geral da Meia-Entrada (Decreto nº 8.537/15, que regulamenta a Lei 12.933/13), mediante apresentação do cartão de Benefício de Prestação cContinuada da Assistência Social da Pessoa com Deficiência ou de documento emitido pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS que ateste a aposentadoria de acordo com os critérios estabelecidos na Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013. No momento de apresentação, esses documentos deverão estar acompanhados de documento de identidade oficial com foto.
  • Professores da rede pública estadual e das redes municipais de ensino: carteira funcional emitida pela Secretaria da Educação de São Paulo ou holerite acompanhado de documento oficial com foto, conforme a Lei Estadual nº 14.729/12.
  • Diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares de cargos do quadro de apoio das escolas das redes estadual e municipais: Conforme a Lei Estadual nº 15.298/14, mediante apresentação de carteira funcional emitida pela Secretaria da Educação de São Paulo ou holerite acompanhado de documento oficial com foto.
  • jovens pertencentes a famílias de baixa renda, com idades de 15 a 29 anos
    Conforme a Lei Geral da Meia-Entrada (Decreto nº 8.537/15, que regulamenta a Lei 12.933/13), mediante apresentação da Carteira de Identidade Jovem que será emitida pela Secretaria Nacional de Juventude a partir de 31 de março de 2016, acompanhada de documento de identidade oficial com foto.

O benefício de meia-entrada é assegurado para 40% do total de ingressos disponíveis para cada evento, conforme o Decreto nº 8.537/15.

Descontos:

  • 30% de desconto Natal e parceiros, limitado a 50 ingressos por sessão e 4 ingressos por cpf. Disponível no site e na bilheteria, mediante a apresentação do código promocional.
  • 30% de desconto para lojistas do shopping. Limitado a 60 ingressos por sessão.
  • Ingressos Promocionais Populares: sem a necessidade de comprovante para o preço "Inteira Popular". Para “Meia Popular” é necessário comprovação de acordo com a Meia-Entrada.

Os descontos não são cumulativos, devendo ao beneficiário optar pelo desconto de sua preferência, mediante a apresentação de documentos que comprovem o direito.

Veja também: