New York tem mais casos confirmados do que em qualquer outro lugar nos Estados Unidos, e cerca de 1 em cada 5 hospitalizações estão ocorrendo em pessoas com menos de 44 anos, de acordo com dados divulgados pelo NYC Health, o departamento de saúde da cidade.

Em meados de março, o governo americano alertou que os jovens na Itália e na França também estavam ficando gravemente doentes.

Durante meses, a crença das autoridades de saúde era que apenas a população idosa corria risco.

"Não são apenas pacientes idosos; é qualquer um", disse à Bloomberg a Dra. Kaedrea Jackson, do Mount Sinai Morningside Hospital, em Manhattan.

"É difícil perder alguém", disse Jackson. Mas quando os médicos precisam intubar pacientes na faixa dos 20, 30 e 40 anos –  isso pesa muito. "São os jovens, aqueles com toda a vida pela frente que não têm problemas médicos, eles se destacam. Eles são difíceis de esquecer”.

Médicos e outros profissionais de saúde que falaram com a Bloomberg, descreveram números surpreendentes de pacientes mais jovens internados em estado grave, que precisavam de cuidados intensivos para salvarem suas vidas.

Com o agravamento do quadro, os pacientes são sedados, intubados e mantidos em coma induzida em UTIs, muitas vezes por semanas sem sinais de recuperação.

"São jovens, anteriormente saudáveis", disse Eric Wei, médico de pronto-socorro e diretor de qualidade do NYC Health + Hospitals, o sistema público de hospitais da cidade. “Eles parecem estar com gripe. Dentro de horas, eles precisam de oxigênio. Dentro de mais algumas horas, eles precisam de um ventilador".

Segundo a Bloomberg apurou, dezenas de pacientes internados na semana passada na UTI de um centro médico da New York University (NYU) tinham menos de 50 anos – parte deles com 20 anos e um tinha apenas 7 anos.

"Esses casos em pessoas jovens e de meia-idade são impressionantes", disse Paul Sax, diretor clínico de doenças infecciosas do Brigham and Women's Hospital, em Boston. "Definitivamente, há pessoas que são surpreendidas de ser uma infecção grave neste grupo, pessoas que antes eram totalmente saudáveis, se exercitavam, estavam muito bem”.

Sequelas

Para pacientes tratados com a ajuda de ventilação mecânica, pode haver problemas de saúde duradouros, disse Ross McKinney Jr., diretor científico da Association of American Medical Colleges.

Mesmo para os pacientes mais jovens, os médicos precisam usar ventiladores de alta pressão, bombeando níveis elevados de oxigênio.

"Muitos acabam com os pulmões danificados e poderão enfrentar restrições no futuro", disse McKinney. "Qualquer doença respiratória o deixará doente, porque você não tem reservas, e coisas como correr cross country ou fazer uma corrida de 5 km poderão estar fora de questão. Você poderá não ser tão ativo porque seus pulmões não terão mais a mesma capacidade".

* Com informações da Bloomberg

Veja também: