As imagens de helicópteros militares sobrevoando Cabul trouxeram comparações com a rápida remoção do pessoal da Embaixada dos Estados Unidos em Saigon, quando tropas comunistas do Vietnã do Norte tomaram a capital do Vietnã do Sul, em abril de 1975. Reprodução Al Jazeera/rede social
As imagens de helicópteros militares sobrevoando Cabul trouxeram comparações com a rápida remoção do pessoal da Embaixada dos Estados Unidos em Saigon, em abril de 1975, quando tropas comunistas do Vietnã do Norte tomaram a capital do Vietnã do Sul. Reprodução: Al Jazeera/rede social

Para realizar a retirada de diplomatas e civis, o Pentágono enviou 3 mil soldados ao aeroporto internacional da capital afegã. Outros mil foram enviados ao Catar para apoio técnico e logístico, enquanto 4 mil estarão de prontidão no Kuwait.

As comparações com a queda de Saigon no final da Guerra do Vietnã em 1975 – que incluiu a evacuação caótica da embaixada dos Estados Unidos quando as forças comunistas assumiram o controle da capital do Vietnã do Sul – ganharam força nas manchetes e nas redes sociais.

Desde o anúncio da retirada das forças do Afeganistão até 11 de setembro, o governo americano fez todo o possível para evitar paralelos com o Vietnã.

No mês passado, quando questionado se a decisão de manter a retirada das tropas americanas do Afeganistão não levaria à repetição em Cabul de cenas como as da humilhante evacuação de Saigon, Joe Biden respondeu que não havia ponto de comparação entre a saída dos EUA do país e a humilhante evacuação de Saigon.

"Absolutamente nenhum", disse Biden. "Zero".

“O Talibã não é o exército norte-vietnamita. Eles não são remotamente comparáveis em termos de capacidade. Não haverá nenhuma circunstância em que você verá pessoas sendo resgatadas do telhado da embaixada dos Estados Unidos no Afeganistão”, enfatizou Biden. “Não é nada comparável.”

De acordo com a Associated Press (AP), as avaliações dos militares americanos indicaram que "levaria um mês antes que a capital sofresse pressão insurgente".

Neste domingo, o Talibã assumiu a capital afegã. A ação aconteceu após a ocupação de 26 das 34 capitais provinciais em um período de 7 dias.

Líderes e combatentes do Talibã ocuparam o palácio presidencial horas depois do Presidente Ashraf Ghani partir para o Tajiquistão. Reprodução: Al Jazeera
Líderes e combatentes do Talibã ocuparam o palácio presidencial horas depois do Presidente Ashraf Ghani partir para o Tajiquistão. Reprodução: Al Jazeera/rede social

Em consequência, helicópteros militares estão sendo usados para evacuar rapidamente a embaixada americana. Anteriormente, os funcionários foram instruídos a destruir todos os documentos armazenados no prédio

"O que é anormal é a escala de helicópteros americanos circulando pela área da embaixada", reportou a CNN no início do domingo. "Não vejo nada parecido em 20 anos, em termos de volume".

Milhares de afegãos que trabalharam para os Estados Unidos durante a ocupação de 20 anos no país, como intérpretes ou motoristas, e suas famílias, estão tentando partir o mais rápido possível, temendo retaliação do Talibã.

O Pentágono estima que terá de evacuar cerca de 30.000 pessoas antes de concluir sua retirada total do Afeganistão até 31 de agosto.

A parlamentar Elise Stefanik (R-NY) apontou o legado de longa duração que este momento da história proporcionará.

“Este é o Saigon de Joe Biden", disse.

Atualização 17/08/2021

O Conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos Jake Sullivan admitiu nesta terça-feira (17) que "certamente" uma boa quantidade do armamento americano abandonado no Afeganistão "caiu nas mãos do Talibã".

"Não temos um quadro completo, obviamente, de onde cada item do material de defesa foi parar", disse o conselheiro de Biden. "Mas, certamente, uma boa quantidade caiu nas mãos do Talibã, e, obviamente, não temos a expectativa de que eles vão entregá-lo para nós no aeroporto".

O congressista da Florida Mike Waltz, coronel reformado da força especial Green Berets do exército americano e com várias missões no Afeganistão, disse que o Talibã “tem acesso a enormes depósitos de armamento pesado, artilharia, veículos blindados e munições”.

"A Al Qaeda 3.0 emergirá das consequências desta retirada imprudente. A mesma equipe de política externa de Obama (Blinken, Austin, Sullivan) que supervisionou a retirada do Iraque, com a ascensão do ISIS, são responsáveis por este desastre. Os americanos merecem ver a prestação de contas e demissões", escreveu Waltz em rede social.

Desde janeiro de 2015, quando os afegãos assumiram as operações de combate, cerca de 57.000 soldados afegãos morreram em confrontos com o Talibã – incluindo mais de 2.600 este ano.

Atualização 26/08/2021

Nesta quinta-feira (26), o aeroporto de Cabul foi alvo de duas explosões por homens-bomba do Estado Islâmico. De acordo com o último relatório, as explosões mataram 103 pessoas, incluindo 13 soldados americanos. O Talibã condenou os ataques e prometeu punir os responsáveis.

Leitura recomendada:

Veja também: