Atualização 04/02: Foram confirmadas 10 pessoas com teste positivo de coronavírus em 31 resultados de 273 indivíduos testados até agora, disse o ministro da Saúde do Japão Katsunobu Kato em entrevista coletiva na manhã (horário local) desta quarta-feira (5).

As autoridades sanitárias vêm testando amostras de 120 pessoas que apresentaram sintomas como febre e tosse, e de mais 153 pessoas que tiveram contato próximo com aquelas que apresentam sintomas.

Kato disse que todos os 3.700 passageiros e tripulantes ficarão em quarentena a bordo do navio por até 14 dias, conforme estipula a lei japonesa.

Na terça-feira (4), o critério de pessoas a serem testadas foi expandido após indivíduos que não estavam no grupo investigado terem apresentado a infecção.
Atualização 06/02: Foi confirmada a infecção de mais dez pessoas, elevando para 20 o número total de casos na embarcação.

Todos os dez novos casos são de passageiros com idade acima de 50 anos.

Quatro deles são japoneses. Há ainda dois americanos e dois canadenses, além de um neozelandês e um taiwanês. Eles foram transferidos para instituições médicas na província de Kanagawa.
Atualização 07/02: Foram registrados 41 novos casos do novo coronavírus, elevando o número total de passageiros infectados para 61. O número de cidadãos japoneses a bordo com o vírus saltou de 4 para 25.

O número de casos na Diamond Princess agora excede o de qualquer país fora da China, onde o surto começou. Atualmente, Cingapura tem 28 casos e Tailândia e Japão (excluído o navio em quarentena) ambos têm 25.
Atualização 08/02: Mais três pessoas testaram positivo para coronavírus, elevando o número total de casos confirmados para 64, representando cerca de 25% das 279 pessoas testadas entre as mais de 3.700 a bordo.

Embora o período de quarentena do navio tenha sido inicialmente definido por duas semanas, existe um entendimento que o prazo poderá será estendido cada vez que um novo caso for confirmado.
Atualização 09/02 11:00PM PT: O número de infectados já atinge 135. Os pacientes estão sendo retirados do navio e levados para hospitais. Entre os novos casos, estão 45 japoneses e 11 americanos.
Atualização 11/02: Mais trinta e nove passageiros do navio Diamond Princess e um oficial de quarentena deram positivo para o novo coronavírus, disse o ministro da saúde Katsunobu Kato na manhã de quarta-feira.

"Dos 53 novos resultados de testes, 39 pessoas foram consideradas positivas".

"Nesse momento, confirmamos que quatro pessoas, entre as que estão hospitalizadas, estão em estado grave, seja em respirador ou em UTI ".

Os novos casos elevam o total vinculado ao navio para 175.
Atualização 12/02: O Primeiro-Ministro Abe disse que o governo aumentará a capacidade de teste para os que estão no navio de cruzeiro para cerca de 1.000 amostras por dia até 18 de fevereiro. Até agora, apenas cerca de 300 amostras podem ser testadas por dia.
Atualização 13/02: O Japão confirmou outros 44 diagnósticos de coronavírus, elevando o número total de casos para 219.
Atualização 16/02: O Ministério da Saúde do Japão disse que as 70 pessoas detectadas mais recentemente com o vírus a bordo do Diamond Princess foram enviadas para hospitais e instalações com enfermarias capazes de lidar com a doença, já que o número de casos a bordo do Diamond Princess subiu para 355. O navio é o maior local de infecção fora da China.

O porta-voz do governo do Japão, Yoshihide Suga, disse na segunda-feira(3) que as autoridades japonesas colocaram em quarentena o transatlântico, que chegou a Baía de Yokohama um dia antes do planejado.

O navio de cruzeiro já tinha ficado retido no sábado (1) em um porto de Naha, cidade com 320 mil habitantes, capital de Okinawa.

A Princess Cruises Japan emitiu um comunicado adiando a partida do navio em 24 horas devido a inspeção pelas autoridades de saúde japonesas.

Segundo informações da imprensa japonesa, um passageiro de 80 anos embarcou no navio em Yokohama em 20 de janeiro e desembarcou em 25 de janeiro em Hong Kong, onde foi diagnosticado com coronavírus na sexta-feira (31).

Ele desenvolveu tosse um dia antes de embarcar, mas não apresentou febre até 30 de janeiro, um dia antes de ter sido confirmado ter sido infectado pelo vírus.

"A inspeção dos passageiros e da tripulação, pelas autoridades de saúde japonesas, é uma prática padrão depois que um passageiro é positivo para o coronavírus", afirma a Princess no comunicado. "Priorizando a segurança e a saúde de nossos passageiros e tripulantes a bordo, atualmente estamos trabalhando em estreita colaboração com as autoridades locais para fornecer registros detalhados para facilitar a inspeção".

O episódio ocorre poucos dias após um navio cruzeiro da unidade Costa Crociere da Carnival ter sido colocado em quarentena próximo de Roma.

O Diamond Princess, com 18 andares, tem capacidade para 2.670 passageiros e oferece cruzeiros que partem de Yokohama (Tóquio) e Kobe. O navio está realizando um cruzeiro roundtrip de 16 dias.

Cerca de 80% dos passageiros têm mais de 60 anos de idade, e mais de 200 passageiros têm 80 anos ou mais.

Diamond Princess fundeado na Baía de Yokohama, Japão. Passageiros e tripulação foram instruídos para permanecerem em suas cabines. Reprodução Youtube/Kyodo News
Diamond Princess fundeado na Baía de Yokohama, Japão. Passageiros e tripulação foram instruídos para permanecerem em suas cabines. Reprodução Youtube/Kyodo News

Desde sábado (1), o Japão está proibindo a entrada no país de estrangeiros que estiveram em Hubei nas últimas semanas, bem como titulares de passaportes chineses emitidos em Hubei.

O Ministério da Saúde informou na segunda-feira que 20 pessoas no Japão apresentaram resultados positivos para a presença do coronavírus, embora quatro delas não apresentassem sintomas.

"O surto de coronavírus afetará a economia do Japão, prejudicando o turismo para o país", disse Fumio Kishida, do Partido Liberal Democrata.

O vírus está desafiando a meta do Primeiro-Ministro Shinzo Abe de aumentar o número de visitantes estrangeiros para 40 milhões este ano, quando Tóquio sediará os Jogos Olímpicos.

Os turistas chineses representaram 40% dos gastos de turistas estrangeiros no Japão no ano passado, segundo Yuki Masujima, da Bloomberg Economics.

Espera-se que o número de visitantes chineses que cancelam viagens ao Japão chegue a 400.000 no final de março devido ao surto de coronavírus.

A previsão, fornecida na segunda-feira pela Associação Japonesa de Agentes de Viagem, foi baseada no número de "cartas de garantia", necessárias para obter vistos de turista para o Japão.

Quando os participantes de excursões em grupo visitam o Japão, as agências de viagens japonesas se tornam seus garantidores e criam cartas de garantia.

É provável que o número real de cancelamentos aumente ainda mais, pois a estimativa não inclui viajantes a negócios.

* Com informações da NHK, Kyodo, Japan Times, Bloomberg

Veja também: