O Itaú Cultural promete democratizar o acesso a clássicos e “joias perdidas” do audiovisual.

O serviço oferece cultura e diversão para toda a família. Além da sinopse e classificação indicativa, as obras trazem também uma análise crítica e literária.

Entre as atrações estão sete filmes de Glauber Rocha (entre eles, Deus e o Diabo na Terra do Sol e Terra em Transe) e cinco longas sobre futebol produzidos ou dirigidos por Luiz Carlos Barreto, o Barretão, como Garrincha, Alegria do Povo e Isto é Pelé.

O público também vai encontrar produções realizadas pela Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) e pela São Paulo Companhia de Dança, além dos institutos CPFL e Alana, e conteúdo exibido pelos canais Arte1 e TVE/Bahia.

O acesso ao Itaú Cultural Play está disponível apenas no território nacional e somente maiores de 18 anos podem se cadastrar – a navegação na plataforma por menores deve ser feita mediante a supervisão de adultos.

O conteúdo pode ser acessado via navegadores e, brevemente, aplicativos para iOS e Android.

“Já pedimos autorização para os aplicativos rodarem a plataforma em Android e iOS, mas neste primeiro momento será apenas nos navegadores de Internet. Um segundo lançamento é a chegada do Itaú Cinema no Itaú Cultural Play. E por fim, a chegada da plataforma às Smart TVs”, explicou Eduardo Saron, Diretor do Itaú Cultural, em coletiva de imprensa.

Um dos motivadores para a execução do projeto foi o sucesso das mostras culturais on-line promovidas pelo Itaú entre março de 2017 e dezembro de 2019.

Saron diz que além de facilitar o acesso do público às obras, a iniciativa promove a inclusão de artistas de diferentes contextos. “Trabalhamos muito para que, já na estreia, todos os estados estivessem incluídos na plataforma”.

“Foram dois anos de duas grandes reflexões: primeiro sobre o conteúdo que iriamos trazer, quais seriam as curadorias, quem estaria conosco. E o segundo, por qual instrumento tecnológico, com quais parceiros trilharíamos esse caminho”.

Veja também: