Os ingressos líquidos em participação no capital atingiram US$ +6 bilhões e as operações intercompanhia, saídas líquidas de US$ -1,5 bilhão.

Os ingressos líquidos em investimentos diretos no país (IDP) somaram US$ +3,4 bilhões em setembro de 2020.

No acumulado do ano até setembro, o IDP soma US$ 40,740 bilhões. O BC projeta IDP de US$ 55 bilhões para 2021, conforme divulgado no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) do mês passado.

Nos doze meses encerrados em setembro de 2021 o IDP totalizou US$ +50,4 bilhões (3,16% do PIB), ante US$ +49,4 bilhões (3,12% do PIB) no mês anterior e US$ +54,8 bilhões (3,55% do PIB) em setembro de 2020. Fonte/arte: © Banco Central
Nos doze meses encerrados em setembro de 2021 o IDP totalizou US$ +50,4 bilhões (3,16% do PIB), ante US$ +49,4 bilhões (3,12%) no mês anterior e US$ +54,8 bilhões (3,55%) em setembro de 2020. Fonte/arte: © Banco Central

Nos doze meses encerrados em setembro de 2021 o IDP totalizou US$ +50,4 bilhões (3,16% do PIB), ante US$ +49,4 bilhões (3,12%) no mês anterior e US$ +54,8 bilhões (3,55%) em setembro de 2020.

Investimento em Carteira

Os investimentos em carteira no mercado doméstico totalizaram saídas líquidas de US$ -916 milhões em setembro de 2021, compostos por saídas líquidas de US$ -1,6 bilhão em ações e fundos de investimento e ingressos líquidos de US$ +676 milhões em títulos de dívida.

Fonte/arte: © Banco Central
Fonte/arte: © Banco Central

O investimento estrangeiro em ações brasileiras ficou negativo em US$ -1,3 bilhão em setembro. No acumulado do ano, o saldo ficou positivo em US$ +5,4 bilhões.

Já o investimento líquido em fundos de investimentos no Brasil ficou negativo em US$ -257 milhões em setembro. Nos nove primeiros meses de 2021, os fundos registram saídas líquidas de US$ -300 milhões.

O saldo de investimento estrangeiro acumulado no ano em títulos de renda fixa negociados no País ficou positivo em US$ +16,049 bilhões.

Os ingressos líquidos de investimentos em carteira no mercado doméstico totalizaram US$ +41,6 bilhões nos doze meses finalizados em setembro de 2021.

Reservas internacionais

As reservas internacionais somaram US$ 368,9 bilhões em setembro de 2021, redução de US$ -1,5 bilhão em comparação a agosto de 2021. O resultado decorreu de retornos líquidos de US$ +930 milhões em linhas com recompra, das contribuições negativas de US$ -1,8 bilhão e US$ -1,2 bilhão, por variações de preço e paridade, respectivamente. A receita de juros totalizou US$ +447 milhões.

* Com informações, dados e gráficos do Banco Central do Brasil

Veja também: