O Real passou por um período difícil nos últimos meses, com a moeda caindo fortemente em novembro, antes da intervenção do Banco Central.

Com três cortes na taxa básica de juros este ano, os investidores foram reduzindo posições em moeda brasileira à medida que estreitava a diferença dos rendimentos reais entre o Brasil e os EUA.

Agora, os investidores estão antecipando uma recuperação do Real no início do próximo ano.

Uma pesquisa com os clientes do Citi mostra que mais de um terço dos entrevistados escolheram o Real como a aposta preferida para o primeiro trimestre de 2020.

Atribui-se parte do interesse pelo Real ao crescimento econômico registrado no terceiro trimestre, expansão de 0,6% em relação ao trimestre anterior e de 1,2% em relação ao ano anterior.

Por sua vez, a possibilidade de nova intervenção do Banco Central, que detém moeda estrangeira suficiente para combater ataques especulativos, desencoraja apostas na depreciação do Real.

Nem todos estão convencidos.

Para Alvise Marino, do Credit Suisse, o bloco latino-americano é uma área proibida para o banco, uma mistura hostil de taxas baixas, crescimento fraco e clima político agressivo.

Boletim Focus: A projeção para a taxa de câmbio no fim de 2019 é de R$ 4,15 por dólar.

* Com informações e dados do The Financial Times, Investing.com, Boletim Focus (Relatório de Mercado 06/12/2019)

Veja também: