Atualizado em 23/08/2021

O relatório ressalta que dados biológicos atualizados sugerem que a nova mutação Delta com K417N (AY.1) é improvável que mostre alteração antigênica substancial em comparação com a variante Delta, responsável na Inglaterra por cerca de 99% dos casos sequenciados e 99% genotipados entre 8 e 14 de agosto de 2021.

Prevalência de variantes para todos os casos sequenciados disponíveis na Inglaterra de 1º de fevereiro de 2021 a 16 de agosto de 2021. Fonte/Arte: © Public Health England (PHE)
Prevalência de variantes para todos os casos sequenciados disponíveis na Inglaterra de 1º de fevereiro de 2021 a 16 de agosto de 2021. Fonte/Arte: © Public Health England (PHE)

O artigo Effectiveness of COVID-19 vaccines against the B.1.617.2 variant, divulgado em maio, em preprint, estimou que, com duas doses, a efetividade do imunizante da Pfizer contra a variante Delta seria de 88% (95% CI: 78-93%), enquanto a efetividade da vacina da AstraZeneca seria de 60% (IC 95%: 29-77%).

Os óbitos na Inglaterra de casos Delta sequenciados e genotipados, ocorridos em qualquer local (independentemente do estado de hospitalização) e dentro de 28 dias da data positiva da amostra, já somam 1.189 pessoas, não sendo conhecida a situação de vacinação de 16 delas. O relatório não classifica os óbitos por vacina.

Óbitos dentro de 28 dias da data positiva da amostra
Faixa etáriaTotal<21 dias após dose 1≥21 dias após dose 1≥14 dias após dose 2Não Vacinados
≥501.063885652318
<50 110652772
Todas1.1731490679390
 1,2%7,7%57,9%33,2%

O documento não faz distinção entre o óbito causado por complicações da covid-19 e a morte por outras causas daqueles que testaram positivo para o vírus da doença.

Essa forma de registro, criticada por especialistas, busca captar os óbitos por covid-19 ocorridos em lares de idosos, casas de saúde, residências e outros locais, que acontecem em número significativo, mas pode sofrer alguma distorção ao incluir mortes por outras causas de pessoas apenas infectadas, ou mesmo com covid-19, como acidentes fatais e assassinatos, bem como devido a outras doenças em estado terminal. O critério de limitar em 28 dias o tempo entre o diagnóstico e óbito procura minimizar essa distorção.

Reinfecções

Dados da população com base na primeira vez em que os indivíduos testaram positivo para SARS-CoV-2 na Inglaterra, juntamente com aqueles que tiveram teste positivo com um intervalo de pelo menos 90 dias entre 2 testes positivos consecutivos, mostram, ao final da semana 30 de 2021 (1º de agosto), um total de 5,2 milhões de primeiras infecções com 35.124 (0,7%) possíveis reinfecções, das quais 137 foram confirmadas pela identificação de cepas geneticamente distintas em cada episódio da doença.

Leitura recomendada:

Veja também: