O indicador de inflação subjacente (índice excluindo energia e alimentos não processados) registrou variação de +6,2%, a maior desde abril de 1994.

Evolução da variação intranual do IPC. Fonte/Arte: © INE | Serviço de Comunicação e Imagem
Evolução da variação intranual do IPC. Fonte/Arte: © INE | Serviço de Comunicação e Imagem

O instituto estima que a taxa de variação do índice relativo à energia se situe em +31,2% (taxa inferior em 0,5 p.p. face ao mês precedente) nos últimos 12 meses, enquanto o índice referente aos produtos alimentares não transformados terá apresentado uma variação de +13,2% (+11,9% em junho).

Estimativas preliminares do IPC e IHPC. Fonte/Arte: © INE | Serviço de Comunicação e Imagem
Estimativas preliminares do IPC e IHPC. Fonte/Arte: © INE | Serviço de Comunicação e Imagem

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português terá registrado uma variação intranual de +9,4% (+9,0% no mês anterior).

Os dados definitivos referentes ao IPC do mês de julho de 2022 serão publicados no próximo dia 10 de agosto.

PIB

O Produto Interno Bruto (PIB), em termos reais, registrou uma variação intranual de +6,9% no 2º trimestre de 2022. Note-se que a evolução reflete em parte um efeito de base, dado que no 1º trimestre de 2021 estiveram em vigor várias medidas de combate à pandemia que condicionaram a atividade econômica.

Comparando com o 1º trimestre de 2022, o PIB diminuiu -0,2% em volume, em resultado da contribuição negativa da demanda doméstica.

O contributo da procura interna para a variação intranual do PIB diminuiu no 2º trimestre, verificando-se um crescimento menos acentuado do consumo privado e do investimento.

Evolução do Produto Interno Bruto (PIB) português. Fonte/Arte: © INE | Serviço de Comunicação e Imagem
Evolução do Produto Interno Bruto (PIB) português (2T20-2T22). Fonte/Arte: © INE | Serviço de Comunicação e Imagem

O contributo positivo da procura externa líquida para a variação homóloga do PIB aumentou. No 2º trimestre, os preços implícitos nos fluxos de comércio internacional aumentaram significativamente, tendo-se registrado uma maior aceleração nas exportações devido às componentes de serviços, determinando uma perda dos termos de troca menos intensa que no trimestre anterior.


Veja também: