O ministério disse que a medida foi necessária devido a "um aumento repentino nos preços globais do trigo decorrente de muitos fatores, como resultado do qual a segurança alimentar da Índia, vizinhos e outros países vulneráveis está em risco".

A expectativa é que os futuros de trigo saltem domingo (15) à noite e aumentem a inflação recorde de alimentos.
A expectativa é que os futuros de trigo saltem domingo (15) à noite e aumentem a inflação recorde de alimentos.

Havia esperanças de que a Índia, o segundo maior produtor mundial de trigo, mas não grande exportador do grão, pudesse ajudar a compensar a escassez global, pois o país projetava uma safra recorde de 111,3 milhões de toneladas (mt) em 2021-22, com até 15mt destinados à exportação.

No entanto, uma onda de calor súbita causou o amadurecimento prematuro e encolhimento dos grãos em muitas partes do país. Isso teria levado os agricultores indianos a colher de 15% a 20% menos grãos em comparação com o ano passado.

De acordo com a imprensa local, o governo indiano revisou sua estimativa para a produção de trigo para 95mt, seu nível mais baixo desde 2015-16.

Apesar da proibição, a Índia permitirá embarques de trigo para cartas de crédito que foram emitidas antes de 13 de maio, disse o ministério. Quaisquer outras exportações exigirão permissão especial do governo indiano, que pode ser concedida no caso de países que precisam de trigo "para atender às suas necessidades de segurança alimentar".

Veja também: