"Assim como Lord Hanuman trouxe o remédio sagrado do Himalaia para salvar a vida do irmão de Lord Rama, Laksmana, e Jesus curou aqueles que estavam doentes ... Índia e Brasil vão superar essa crise global unindo forças e compartilhando bênçãos pelo bem de todas as pessoas", escreveu Bolsonaro ao PM da Índia sobre o uso da cloroquina em doentes com a síndrome respiratória Covid-19.

Depois de uma série de pedidos ao líder indiano para permitir a exportação de ingredientes ativos da hidroxicloroquina e formulações, Bolsonaro disse que o Brasil em breve receberá "matérias-primas" para continuar produzindo o fármaco, agradecendo Modi pelo gesto.

“Sou grato ao Primeiro-Ministro Narendra Modi e ao povo indiano por essa ajuda muito oportuna ao povo brasileiro”, disse Bolsonaro em discurso na quarta-feira (8).

Bolsonaro disse que a decisão de usar a hidroxicloroquina "pode entrar na história como tendo salvado milhares de vidas no Brasil".

Não há evidências científicas de que a hidroxicloroquina possa tratar a infecção causada pelo coronavírus SARS-CoV-2.

No início da semana, o governo indiano recuou da proibição de exportação de hidroxicloroquina, permitindo que remessas do medicamento fossem retomadas para os EUA e outros países após breve desentendimento com Washington. O Presidente dos EUA, Donald Trump, criticou a restrição a exportação, ameaçando "retaliação", mas agradeceu a Modi depois que a proibição foi revogada.

* Com informações da TV-Novosti

Leitura recomendada:

Veja também: