A estatal Hindustan Petroleum Corporation (HPCL) comprou dois milhões de barris de petróleo russo para embarque em maio da trading europeia Vitol, após a Indian Oil Corporation (COI) ter comprado três milhões de barris do tipo Urals no início desta semana com um desconto de US$ 20 a US$ 25.

Outra empresa indiana, Mangalore Refinery e Petrochemicals Ltd (MRPL), também já apresentou licitação para um milhão de barris de petróleo russo.

As maiores refinarias indianas não consideram a compra de petróleo russo um problema, afirmando que nem o petróleo nem a Vitol foram sancionados.

Embora o governo Biden venha pressionando Nova Délhi contra a compra de petróleo russo, a Índia rejeitou os pedidos dos Estados Unidos nesta sexta-feira (18), argumentando que sua dependência das importações de energia não deve ser "politizada" e observou que países independentes de petróleo ou que ainda importam produtos da Rússia “não podem defender com credibilidade o comércio restritivo”.

A Índia é o terceiro maior consumidor de energia do mundo, importando cerca de 80% do petróleo de que precisa. Apenas 3% das importações vêm da Rússia.

Atualização 04/04/2022

Os Estados Unidos aumentaram suas compras de petróleo russo em 43% entre 19 e 25 de março, de acordo com dados da Administração de Informações sobre Energia (EIA). Apesar da proibição da Casa Branca de importações de energia da Rússia, os EUA continuam a comprar até 100.000 barris de petróleo russo por dia.

Leitura recomendada:

Veja também: