A construção do hospital de campanha é resultado de uma parceria entre a Allegra Pacaembu, concessionária do complexo, com a Prefeitura de São Paulo.

A obra foi realizada pela Progen, empresa ligada à Allegra com experiência em construção de hospitais de campanha com tendas e montagem de estruturas provisórias.

A instalação hospitalar temporária de 6,3 mil m² tem capacidade para 202 leitos convencionais. Iniciada no domingo (22), a obra será entregue nesta sexta-feira (27), 4 dias antes do prazo previsto de 10 dias.

Os hospitais de campanha municipais do Pacaembu e do Anhembi serão operados pelo hospital Albert Einstein.

Em nota, o Einstein informou que a "estrutura será voltada ao atendimento de pacientes referenciados pela rede pública, ou seja, basicamente pacientes que passaram pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do SUS e que precisam de internação com cuidados de baixa complexidade. Com isso, o objetivo é atender a demanda por atendimento de baixa complexidade, de forma a liberar vagas para atendimentos de maior complexidade nas unidades de saúde tradicionais".

Cerca de 600 enfermeiros irão trabalhar no hospital montado no Pacaembu. Também estão sendo contratados pelo Einstein médicos, fisioterapeutas, nutricionistas, farmacêuticos, auxiliares de farmácia, psicólogos, técnicos de raio-x,  assistentes de atendimento, cozinheiros, auxiliares de cozinha e camareiros.

Hotéis

A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo visitou hotéis da Capital neste fim de semana para avaliar a possibilidade de internar pacientes com Covid-19 mas a opção foi afastada pelo uso de carpete nos quartos, tipo de piso impróprio para instalações de saúde.

Entretanto, os 700 quartos do hotel Holiday Inn do Complexo do Anhembi foram cedidos à Prefeitura para hospedar contratados do Einstein que irão trabalhar no hospital de campanha do Anhembi, se assim desejarem.

Aumento de leitos de observação e de UTI

Na quarta-feira (25), Covas anunciou que as empresas Ambev e Gerdau irão doar 100 leitos de observação, que serão instalados ao lado do Hospital M’Boi Mirim, na Zona Sul de São Paulo.

“[os leitos] se somam aos dois mil leitos dos dois hospitais municipais de campanha, o do Anhembi e o do Pacaembu”, disse Bruno Covas.

O Prefeito também afirmou que as obras do Hospital da Brasilândia, na Zona Norte da cidade, serão antecipadas, e “nos próximos dias”, sem detalhar prazo, informou que a Capital aumentará a capacidade em mais 150 leitos de UTI.

Cerca de R$ 2 bilhões que a Prefeitura reservou para obras em 2020 serão transferidos para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2).

* Com informações da Agência Brasil, O Globo, Estadão

Veja também: