O uso de máscaras será mais uma vez exigido nas lojas e locais públicos, incluindo aeroportos e estações ferroviárias. As máscaras não serão obrigatórias nos locais onde uma prova de vacinação é exigida.

Os cidadãos foram incentivados a trabalhar em casa, se possível, por pelo menos metade de suas horas de trabalho.

O uso do “passe corona”, um documento que mostra a prova de vacinação ou um teste negativo recente, também será expandido.

O sistema de passe foi introduzido em setembro apesar dos protestos em massa em Amsterdam e das manifestações contra os passaportes, agora obrigatórios.

As críticas ao esquema vieram tanto do público quanto dos trabalhadores do setor de hospitalidade, mas também de dentro do governo. Era “inexplicável” que o passe fosse exigido quando a reabertura em massa de escolas e universidades em agosto não tinha causado um aumento nas hospitalizações.

"Se acabarmos em uma sociedade onde temos que ter medo uns dos outros, a menos que possamos mostrar provas, então você realmente terá que coçar a cabeça e se perguntar: 'É esta a direção que queremos ir?'", disse a então ministra júnior de Assuntos Econômicos, Mona Keijzer, exonerada por Rutte por ser contrária ao passe.

A partir de 6 de novembro, a versão holandesa do passaporte de vacinação será necessária para frequentar locais públicos, incluindo restaurantes, bares, museus e teatros, bem como eventos esportivos amadores e até mesmo espaços para refeições ao ar livre. Os locais de trabalho não estão incluídos no esquema.

Falando em uma entrevista coletiva na terça-feira, o Ministro da Saúde, Hugo de Jonge, disse que a maioria dos pacientes hospitalizados com coronavírus não são vacinados, acrescentando que “eles não precisariam estar lá”. No entanto, Rutte deixou claro que seu governo não está preparado para excluir os não vacinados da sociedade, pelo menos por enquanto.

“Dizer que você não pode entrar [porque não foi vacinado] não está em nossos planos, mas você não pode descartá-lo no futuro”, disse Rutte.

Rutte exortou a todos os cidadãos, vacinados ou não, a seguir as regras básicas de higiene e a se isolar se não estiverem se sentindo bem.

Os casos de coronavírus holandeses têm crescido constantemente desde o início de outubro, com as infecções diárias subindo para mais de 7.400 na última semana.

Novos casos diários de infecção por SARS-CoV-2 na Holanda. Fonte/Arte: Worldometers
Novos casos diários de infecção por SARS-CoV-2 na Holanda. Fonte/Arte: Worldometers

Segundo dados governamentais, 84% da população adulta já foi completamente vacinada.

Veja também: