Auberge du Pont de Collonges.Foto: Divulgação
Auberge du Pont de Collonges.Foto: Divulgação

O Diretor Internacional da Michelin Guides, Gwendal Poullennec, antecipou na sexta-feira (17) que o restaurante, localizado em Collonges-au-Mont-d'Or, próximo de Lyon, França, terá apenas duas estrelas na edição de 2020 do famoso livro vermelho, autoridade máxima de facto da culinária francesa.

Poullennec disse à AFP que o estabelecimento "permanece excelente, mas não mais no nível de três estrelas".

"As estrelas Michelin precisam ser conquistadas, e não herdadas", afirmou à RTL.

Poullennec visitou o Auberge du Pont de Collonges na quinta-feira (16) para dar a notícia pessoalmente, antes do lançamento oficial do guia na próxima semana, uma quebra do protocolo e um reconhecimento do legado de Paul Bocuse.

Jerome Bocuse, filho de Paul, disse à RTL que foi um "golpe pesado", cujas consequências serão "difíceis de medir".

A Bocuse d'Or, organização que promove a mais disputada competição anual de culinária, expressou seu "apoio inabalável" ao restaurante.

O revés para o Auberge du Pont de Collonges ocorre apesar dos esforços para modernizar sua aparência e cardápio.

“Os chefs reformularam os pratos. Eles os refinam há mais de um ano, evoluindo-os, mantendo seu DNA e sabor originais”, disse o gerente Vincent Le Roux.

O restaurante deverá reabrir em 24 de janeiro, após três semanas de reformas.

Paul Bocuse morreu aos 91 anos, em janeiro de 2018, após um longo tratamento contra a doença de Parkinson. Anos antes, alguns críticos já comentavam que o restaurante não estava mais preparado.

Três restaurantes de Lyon perderam uma estrela Michelin em 2019.

Nos últimos anos, vários restaurantes franceses renunciaram ao status de três estrelas devido ao estresse de serem julgados pelos inspetores do Guia Michelin.

* Com informações da BBC, RTL e AFP

Veja também: