As pessoas só poderão circular pelas vias públicas para a realização das seguintes atividades:

  • aquisição de alimentos, produtos farmacêuticos e de primeira necessidade;
  • deslocamento ao local de trabalho para realizar função profissional ou empresarial;
  • retorno ao local de residência;
  • cuidado de idosos, menores, dependentes, pessoas com incapacidade e pessoas especialmente vulneráveis;
  • deslocamento a instituições financeiras.

O decreto basicamente estende as medidas de restrição aplicadas em Madri para toda a Espanha.

“Fica estabelecida a suspensão da abertura ao público dos locais e estabelecimentos relacionados no Anexo I do presente Decreto Real [onde estão praticamente todo todo tipo de comércio, com exceção dos de alimentação, farmácias, postos de gasolina e bancas, como em Madri] assim como qualquer outra atividade e estabelecimento que pelas autoridades competentes possa significar risco de contaminação. A permanência nos estabelecimentos comerciais cuja abertura está permitida deverá ser a estritamente necessária para que os consumidores possam realizar a compra de alimentos e produtos de primeira necessidade, ficando suspensa a possibilidade de consumo de produtos nos próprios estabelecimentos. Em todo caso, se evitarão aglomerações de pelo menos um metro para evitar possíveis contágios”.

Em discurso,  o Primeiro-Ministro Pedro Sánchez pediu a união de todas as comunidades e os cidadãos para derrotar o vírus.

“Usaremos todos os recursos para combater a curva de contágio. É importante não confundir quem é o inimigo, é o vírus, e todos devemos lutar juntos”, disse Sánchez. “As medidas que vamos adotar são drásticas e terão consequências”.

A decisão ocorre quando milhares de madrilenhos, desobedecendo as recomendações do Executivo, foram passar o final de semana em localidades de lazer.

Todos os que viajaram poderão voltar ao seu local de residência, mas o Governo deixou claro que não poderão voltar a sair a partir das 8h desta segunda-feira (16).

As autoridades espanholas tentaram, durante duas semanas, políticas graduais de contenção que, entretanto, não impediram o aumento de infecções e mortes.

A Espanha é o segundo país mais afetado pela pandemia na Europa.

Na quinta-feira (12), eram 3.000 casos confirmados e 84 vítimas fatais.

No sábado (14), o vírus SARS-CoV-2 já tinha vitimado 136 pessoas e os diagnósticos confirmados de covid-19 aumentado para 5.700, incluindo a mulher do Primeiro-Ministro, Begoña Goméz,

Neste domingo, a Espanha registra 288 mortos e mais de 7.700 pessoas infectadas.

Em todo o mundo, o número de mortes por covid-19 ultrapassa 5.700 pessoas, com mais de 152.000 casos confirmados.

* Com informações do El País, Agência Brasil

Veja também: