Com o objetivo de movimentar a economia e estimular o turismo interno e o  varejo, o governo brasileiro está organizando uma campanha para tentar  aquecer as vendas do comércio em setembro, um dos meses em que,  tradicionalmente, o consumo em vários segmentos tende a ser menor.

Idealizada pelo Governo Federal, a chamada Semana do Brasil funcionará  nos moldes do evento mundialmente conhecido como Black Friday (do inglês  Sexta-feira Negra), uma ação promocional criada nos Estados Unidos,  onde lojistas de todo o país se unem para, toda última sexta-feira de  novembro, ou seja, um dia após o feriado de Ação de Graças, oferecer  descontos em produtos, atraindo consumidores.

Segundo o Ministério do Turismo, a proposta do governo é engajar  associações comerciais e entidades ligadas ao setor de turismo e  serviços para oferecer produtos brasileiros a preços promocionais. A  Semana do Brasil deve ocorrer entre os dias 6 e 15 de setembro,  coincidindo com as comemorações da Independência do Brasil.

Mais de 100 empresários e representantes do governo federal se  reuniram em São Paulo no início de agosto para discutir ações  promocionais a serem desenvolvidas durante a Semana do Brasil.

A forma  de participação das empresas, entidades e órgãos públicos ainda está  sendo definida. Entre as iniciativas discutidas está o lançamento, pelos  Correios, de um selo alusivo ao evento, que deverá ser incluído no  calendário nacional. Para estimular o turismo, a proposta prevê que  empresas aéreas e o setor hoteleiro ofereçam passagens e hospedagem por  preços mais baratos.

Em nota, o Secretário Nacional de Estruturação do Turismo, Robson  Napier, disse que a campanha contribuirá para alavancar o turismo  interno com opções atrativas em diversos serviços turísticos como  promoções em diárias de hotéis, passagens aéreas, pacotes de viagens,  restaurantes, dentre outras ações. “Estamos muito honrados em participar  de uma campanha inédita como essa, incluindo o turismo em um projeto  fundamental para fortalecer nossa economia”, destacou Napier.

Também em nota, o secretário de Comunicação da Presidência, Fábio  Wanjgarten, destacou que a iniciativa visa a resgatar e fortalecer a  autoestima do brasileiro. “O presidente [Jair] Bolsonaro quer um momento  de valorização do Brasil, de resgate do patriotismo do cidadão, com o  maior número de entidades participando do movimento. De um lado, o  governo federal vai apoiar a realização e a divulgação da Semana do  Brasil. Do outro, a iniciativa privada aproveita o momento para  estimular o mercado e atrair consumidores durante o período com  promoções especiais, descontos exclusivos, produtos e serviços  temáticos, ambientação de espaços físicos e virtuais e muito mais.”