“Francamente, não vou confiar na opinião do governo federal e não recomendaria aos nova-iorquinos com base na opinião do governo federal (sic). . . . O Estado de New York terá sua própria revisão”, insistiu o Governador. “Quando o governo federal terminar a revisão e dizer que está seguro, vamos montar nosso próprio comitê de revisão liderado pelo Departamento de Saúde que vai me aconselhar – temos os melhores hospitais e instalações de pesquisa do mundo neste Estado”.

A FDA possui autoridade legal para julgar a segurança e eficácia dos produtos farmacêuticos, incluindo vacinas, e os estados não podem questionar as determinações da agência com seus próprios processos de aprovação.

Cuomo diz que deve-se desconfiar da avaliação da FDA de qualquer vacina porque o tratamento federal da pandemia foi político.

Cuomo e a Governadora de Michigan, Gretchen Whitmer, pediram uma investigação do Congresso sobre a resposta de Trump à pandemia com base nas alegações do livro de Bob Woodward, de que o presidente americano procurou minimizar a ameaça que o vírus representava para evitar o pânico público.

Ainda assim, durante fevereiro e março, Cuomo, apesar das evidências de disseminação viral, minimizou repetidamente a gravidade do vírus, descrevendo-o como uma “gripe forte” e exortou os nova-iorquinos a manterem a calma e evitarem o pânico.

* Com informações do City Journal

Veja também: