De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Porto Alegre (STIMEPA), a GM emitiu um comunicado aos trabalhadores na terça-feira (25) prevendo o retorno de dois terços da operação. A montadora disse que vem trabalhando com fornecedores para retomar a produção em Gravataí "o mais rápido possível".

Na fábrica de Gravataí é fabricado o Onix, o carro mais vendido do País.

Os funcionários do primeiro e segundo turnos gozaram férias coletivas até 20 de março e a partir de 5 de abril entraram em regime de lay-off, com suspensão temporária do contrato de trabalho.

O terceiro turno foi suspenso em abril do ano passado e não foi retomado.

Segundo a montadora, a parada ocorre por conta da escassez de componentes automotivos no mercado internacional, impactado pela pandemia. A produção chegou a ser retomada no primeiro e segundo turno, mas foi suspensa novamente em março, em uma decisão que também aconteceu em outras montadores pelo mundo.

"A cadeia de suprimentos da indústria automotiva na América do Sul tem sido impactada pelas paradas de produção durante a pandemia e pela recuperação do mercado mais rápida que o esperado. Isso está afetando de forma temporária nosso cronograma de produção na fábrica de Gravataí (RS)", informou a empresa.

Com as dificuldades de produção, os emplacamentos do Chevrolet Onix vêm despencando no Brasil. O hatch caiu de 10 mil unidades vendidas em fevereiro para 8 mil em março e 6.400 em abril. Em maio, o modelo deve ficar abaixo de 5.000 emplacamentos e fora do Top-10 pela primeira vez em sua história.

Pátio vazio da GM em Gravataí. Foto: © Valcir Ascari
Pátio vazio da GM em Gravataí. Foto: © Valcir Ascari

Na terça-feira (25), a GM também anunciou que vai parar totalmente por seis semanas a produção da fábrica de São Caetano do Sul, no ABC paulista, por falta de peças na cadeia de suprimentos. O início da paralisação está previsto para 21 de junho, com retorno dos trabalhadores no dia 2 de agosto. No período, a montadora fará a adequação das linhas de montagem para a produção da futura picape, rival da Fiat Toro, que deve ser lançada no primeiro semestre do ano que vem.

Nesta quarta, 26, os funcionários da GM em São Caetano votam a proposta negociada com o sindicato de suspensão dos contratos de trabalho. A GM informou que a medida é necessária diante dos impactos da pandemia na cadeia de suprimentos e o objetivo de manter os empregos.

No último dia 10, a GM reativou o segundo turno de produção na fábrica de São José dos Campos, no interior de São Paulo, onde são montados a picape S10 e o utilitário esportivo TrailBlazer.

Veja também: