Atualização 08/03: O ministro francês da Saúde, Olivier Véran, anunciou a proibição de se realizarem no país reuniões com mais de mil pessoas.

"À escala nacional, todas as reuniões de mais de mil pessoas são agora  proibidas. As autarquias e ministérios enviarão uma lista de eventos  considerados essenciais para a vida da nação".

Até agora, o governo francês tinha proibido reuniões de mais de cinco mil pessoas. Uma ordem emitida no sábado (7) reduziu a duração da proibição para 15 de abril, quando inicialmente era até 31 de maio.

Espera-se que a nova medida anunciada este domingo tenha grande impacto no mundo do desporto e dos espetáculos. O Salão do Livro, que aconteceria de 20 a 23 de março, e a Tattoo World Cup, originalmente agendada entre 13 e 15 de março em Paris, são exemplos de eventos que já foram cancelados.

29/02/2020

A França proibiu todos os eventos com mais de 5.000 pessoas em locais fechados e alguns eventos externos depois que 16 novos casos foram confirmados apenas neste sábado (29).  Eventos e reuniões ao ar livre que podem levar a uma mistura de pessoas de áreas infectadas também serão canceladas.

Neste sábado, a organização da Meia Maratona de Paris anunciou o cancelamento da prova que seria realizada no dia seguinte para cerca de 44 mil inscritos, que já estavam na capital francesa e tinham retirado seus kits para a prova. O último dia da feira agrícola anual em Paris também foi cancelada depois da proibição.

Uma importante feira de quatro dias em Cannes para investidores imobiliários foi adiada de março para junho.

A festa de Carnaval na cidade alpina de Annecy, Veran, foi cancelada.

Contudo a programação de final de semana dos jogos de futebol franceses da Ligue 1 seguirá em frente como planejado.

Realizados em estádios abertos e não fechados, os jogos de fim de semana não ocorrem nas áreas mais afetadas pelo vírus na França: a região de Oise, ao norte de Paris, e a vila de La Balme-de-Sillingy, no sudeste da região de Haute-Savoie.

A decisão de limitar grandes agrupamentos seguiu-se a uma reunião de emergência de ministros neste sábado, presidida pelo presidente Emmanuel Macron, com o objetivo de conter o surto depois que as autoridades de saúde alertaram que a epidemia havia atingido uma "nova etapa".

“Essas medidas são provisórias e sem dúvida evoluirão. Queremos que durem um pouco, porque nos permitirá conter a propagação do vírus ”, disse o ministro da Saúde, Olivier Veran.

Tendo recomendado anteriormente que as pessoas evitem apertar as mãos, o ministro disse que elas também deveriam reduzir o la bise, o costume nacional de cumprimentar com beijos.

Atualmente, 59 pessoas estão hospitalizadas, 12 se recuperaram. Duas pessoas morreram: um professor de Francês de 60 anos e um turista chinês de 80 anos.

Mudanças na missa dominical

O Arcebispo de Paris, Michel Aupetit, pediu aos padres e fiéis que tomem medidas de precaução durante a missa para conter a propagação do vírus.

Em um comunicado divulgado na sexta-feira, a diocese de Paris disse que um padre francês havia testado positivo para coronavírus após seu retorno de carro de Roma em meados de fevereiro.

Os padres de Paris deverão depositar a hóstia nas mãos dos fiéis, não diretamente na boca, e não mais circularão o cálice do qual os fiéis bebem simbolicamente o sangue de Cristo.

Os fiéis são orientados a não apertar as mãos como sinal de paz durante as cerimônias religiosas e a não mergulhar os dedos na água benta.

Atualização 01/03: O Louvre permaneceu fechado nesta manhã de domingo, com longas filas de visitantes enfrentando frio e chuva aguardando a abertura. O motivo teria sido uma reunião da administração com os funcionários para discutir o coronavírus. Após três horas, o museu avisou que não abrirá hoje e não foi definido se funcionará amanhã. O comunicado citou “Instruções ministeriais transmitidas pelas autoridades competentes” como justificativa.

Musée du Louvre @MuseeLouvre·4h
Uma reunião de informações sobre a situação da saúde vinculada às medidas de prevenção #COVID19, seguindo as instruções ministeriais enviadas pelas autoridades competentes, atrasará a abertura do museu do Louvre no domingo, 1º de março. O museu não pode abrir no momento.

Musée du Louvre @MuseeLouvre·1h
O Museu do Louvre não pode abrir hoje, domingo, 1 de março. Convidamos você a escrever para Assistance-billetterie@louvre.fr para obter um reembolso de qualquer ingresso para hoje. Pedimos desculpas por qualquer inconveniente e o manteremos informado sobre os desenvolvimentos

Segundo apurou a BBC, o fechamento do Louvre teria sido uma exigência dos funcionários, que votaram "quase por unanimidade" para o museu mais visitado do mundo não abrir neste domingo.

Um representante do sindicato, Christian Galani, disse à agência de notícias AFP que a reunião tinha sido marcada para discutir as preocupações dos funcionários com o coronavírus e a administração do museu não conseguiu convencê-los a trabalhar.

"O Louvre é um espaço confinado que recebe mais de 5.000 pessoas por dia", disse Galani. "Existe uma preocupação real por parte da equipe".

* Com informações RFI, Time, BBC, RT, AFP, JN

Veja também: