Embora os bares e cafés tenham reaberto ocasionalmente nos últimos 18 meses, as casas noturnas estiveram fechadas desde que a pandemia atingiu pela primeira vez a França, em março de 2020.

Para música ao vivo, apenas shows sentados foram permitidos desde então, com o grupo de rock Indochine fazendo um show experimental em Paris no final de maio.

Mas nesta segunda-feira, após uma reunião com representantes da indústria da vida noturna, a Ministra da Cultura Roselyne Bachelot e Alain Griset, Ministro das Pequenas e Médias Empresas, anunciaram a reabertura.

Os clubes podem reabrir no dia 9 de julho, enquanto os shows com público em pé serão permitidos novamente a partir de 30 de junho.

Os shows permanentes seguirão as mesmas regras dos concertos sentados, o que significa que os espectadores terão que mostrar um passaporte de saúde para eventos que recebem mais de 1.000 pessoas.

Locais internos podem ter 75% de sua capacidade normal, enquanto eventos ao ar livre podem ter 100% da capacidade.

Para boates ou grandes espetáculos, onde um passaporte de saúde é necessário, a máscara não será obrigatória.

Para shows menores que não exigem passaporte de saúde, a máscara será exigida.

O anúncio foi feito no dia do Fête de la Musique, um evento anual de cultura nacional e de influência da França internacionalmente, imperdível entre os franceses e seus artistas.

Bachelot anunciou recentemente que “mini-concertos em bares e restaurantes” seriam permitidos para a ocasião.

A França tem cerca de 1.600 casas noturnas que empregam 30.000 pessoas.

* Com informações do The Local

Veja também: