De acordo com a FCA, muitas fintechs – empresas que operam sob a chamada "licença de dinheiro eletrônico", têm se comparado falsamente aos bancos e não alertado os consumidores sobre os riscos de assinar seus serviços, não raro enganando os clientes sobre até que ponto alguns de seus produtos são regulamentados.

As licenças permitem que fintechs como a TransferWise prestem serviços bancários básicos, incluindo transferências de dinheiro e contas correntes digitais, mas os depósitos dos clientes não podem ser emprestados e devem ser depositados nas chamadas contas “protegidas” em um banco totalmente licenciado.

O regulador endureceu várias regras para empresas fintech no ano passado, incluindo a introdução de requisitos mais rígidos de gestão de risco e forçando-as a desenvolver planos detalhados de liquidação semelhantes aos de um banco.

Contudo, as contas das fintechs britânicas não são cobertas pelo Esquema de Compensação de Serviços Financeiros (FSCS), um seguro que cobre depósitos bancários, apólices de seguros, investimentos, hipotecas e acordos de hipotecas.

As preocupações da FCA destacam a crescente ansiedade entre os reguladores sobre o tamanho e a influência das empresas de pagamentos pouco regulamentadas após o colapso do grupo alemão de pagamentos Wirecard.

As consequências do fracasso da Wirecard em junho do ano passado ressaltaram alguns dos riscos para os clientes de dinheiro eletrônico, já que milhões de contas vinculadas à subsidiária da Wirecard no Reino Unido ficaram congeladas por dias.

Os serviços das fintechs geralmente são direcionados a pessoas que têm dificuldade em abrir contas em bancos e que podem ficar particularmente vulneráveis se não tiverem acesso aos seus recursos.

No caso do Wirecard, todos os clientes recuperaram o acesso aos seus fundos. No entanto, a FCA adverte que, se outras empresas quebrassem, "poderia demorar mais para o dinheiro ser reembolsado do que se estivesse em um banco" e os clientes podem não receber todo o seu dinheiro de volta, mesmo depositado em uma conta protegida, porque os administradores podem deduzir alguns custos.

Algumas fintechs estão procurando obter licenças bancárias completas, mas o aumento dos custos regulatórios tornará as empresas menores insustentáveis.

* Com informações do Financial Times

Veja também: