As mudanças entraram em vigor a partir das 23h desta terça-feira, horário local.

Com as novas regras, bares e restaurantes noruegueses poderão voltar a servir bebidas alcoólicas após as 23h.

Eventos ao ar livre e em ambientes fechados não terão limites de capacidade.

As pessoas poderão se reunir em residências particulares também sem limites.

Parques de diversões, galerias e atrações semelhantes poderão reabrir. Cinemas, teatros, igrejas e qualquer outro lugar que use assentos fixos podem voltar a usar sua capacidade total, com os requisitos de distância revogados.

A recomendação para que escolas e jardins de infância operem com turmas reduzidas e distanciamento foi removida. As universidades serão aconselhadas a ministrarem aulas presenciais e sem distanciamento.

O período de auto-isolamento após um teste positivo para SARS-CoV-2 foi reduzido de seis para quatro dias para pessoas assintomáticas.

A exigência de trabalhar em casa, sempre que possível, também foi descartada.

Os viajantes para a Noruega não serão mais obrigados a fazer um teste para infecção pelo vírus da covid-19 na chegada ao país. Anteriormente, todas as pessoas que chegavam à Noruega eram obrigadas a fazer o teste, independentemente de terem sido vacinadas ou não.

As casas noturnas poderão reabrir, mas o governo disse que pedirá que o distanciamento de um metro seja mantido.

“Os estabelecimentos licenciados não devem realizar atividades que naturalmente promovam uma distância inferior a um metro entre os hóspedes, por exemplo, dançar”.

Algumas das regras devem permanecer, incluindo a obrigatoriedade do uso de máscara facial em lojas, transporte público e locais onde não for possível manter uma distância de um metro.

O Ministro da Saúde, Ingvild Kjerkol, disse na coletiva que o governo foi além do que as autoridades de saúde recomendaram para relaxar as restrições.

“Sabemos que isso terá um preço na forma de infecções e licenças médicas, mas o preço das restrições é realmente mais alto”, disse Kjerkol.

As restrições restantes podem ser suspensas em 17 de fevereiro, se a situação se desenvolver conforme o esperado. No entanto, os municípios poderão introduzir restrições se considerarem necessário.

Finlândia

Seguindo os demais países nórdicos, a Primeira-Ministra da Finlândia, Sanna Marin, também determinou a redução de restrições, segundo a emissora estatal Yleisradio Oy.

A partir desta terça-feira deixam de existir restrições aos viajantes do Espaço Schengen na entrada da Finlândia e não será obrigatória a apresentação de certificado de vacinação, de recuperação ou um teste PCR negativo.

Os viajantes dos demais países continuam a ter de cumprir uma destas condições – não aplicáveis aos cidadãos finlandeses ou residentes – até 14 de fevereiro.

Também a partir de hoje os estabelecimentos que servem refeições poderão permanecer abertos até às 21h e poderão vender bebidas até às 20h.

No entanto, bares e estabelecimentos que servem principalmente bebidas alcoólicas continuam obrigados a fechar às 18h.

Os hotéis vão continuar a poder solicitar passe sanitário como condição de admissão. E para os hoteleiros que aderirem, a partir de meados de fevereiro poderão estar isentos de restrições aos horários de abertura.

Museus e cinemas são da competência das autoridades regionais e locais.

Nas regiões de Uusima e Kymenlaakso (sul da Finlândia), as piscinas, ginásios e outras instalações desportivas poderão voltar a funcionar.

Cerca de 75% da população da Finlândia tem a vacinação completa.

Média móvel de 7 dias do número de novas infecções diárias por SARS-CoV-2 na Finlândia
Média móvel de 7 dias do número de novas infecções diárias por SARS-CoV-2 na Finlândia

Leitura recomendada:

Veja também: