Consideradas as vendas em todo o País, apenas dois setores do varejo, Livrarias e Papelarias (+8%) e Supermercados (+6,5%), registraram crescimento real do faturamento, respectivamente de +3,8% e +2,4% quando deflacionados.

No estudo da Cielo, os dados de compras com cartão mostram que o aumento de 3,7% do faturamento nominal do varejo na semana de Natal foi proveniente de vendas em lojas físicas, que responderam por 3,6% do crescimento e registraram média de compras de R$ 92. As aquisições via comércio eletrônico, com média de R$ 306, cresceram +7,3% ante o mesmo período de 2018.

O valor do ticket médio do varejo consolidado das vendas realizadas entre 19 e 25 de dezembro foi estimado em R$ 94 pela Cielo.

Os resultados do levantamento da Cielo dos gastos com cartões na semana de Natal ratificam o entendimento de economistas de associações comerciais que a comemoração cristã de 2019 seria um "Natal de lebrancinhas".

Vendas em shoppings

De acordo com pesquisa publicada pela Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings (Alshop), onde foram consultadas 400 empresas que representam 30 mil pontos de venda, o comércio natalino no varejo de shopping teve alta nominal (sem desconto da inflação) de 9,5% em 2019.  

Segundo a entidade, que reúne 54 mil lojistas de centros comerciais, o faturamento do setor alcançou R$ 170 bilhões em 2019, crescimento real de 3,4%.

Os itens mais procurados neste Natal, segundo a Alshop, foram moda masculina, brinquedos, perfumes, cosméticos, calçados, acessórios de moda, smartphones, livros, joias, bijuterias, eletrônicos e eletrodomésticos.

Já uma sondagem da recém-criada Associação Brasileira dos Lojistas Satélites (Ablos), revelou que 70% das lojas tiveram desempenho pior que 2018 e 30% uma leve melhora. A associação é direcionada a pequenos lojistas e empresas com redes de lojas de até 180 m2 situadas em shoppings.  A Ablos tem 100 associados, entre eles TNG, Barred's e Mr. Officer (vestuário), Doctor Feet (serviços), Casa do Pão de Queijo (alimentação) e SideWalk (calçados), que respondem por 60% das lojas dos shoppings no País.

Black Friday

As vendas no varejo brasileiro cresceram 5,2% em novembro, descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA).

Emílio Alfieri, economista da ACSP, acredita que o crescimento circunstancial decorreu do aproveitamento das lojas físicas em relação a Black Friday.

“Importamos de fato a Black Friday. Embora não fosse esperado pelo mercado, essa ideia de transformar a data em um mês promocional acabou dando certo e trouxe uma tração para a média acumulada que até outubro girava em torno de  1,9%”.

O dólar fechou 2019 com valorização de 3,6% no ano. Fonte: Investing.com
O dólar fechou 2019 com valorização de +3,6% no ano. Fonte: Investing.com

* Com informações e dados da Cielo, Instituto de Economia Gastão Vidigal/ACSP, Investing.com, Alshop, Ablos

Ver também: