Criada em 2009, com a fusão dos negócios da família Klein com o Grupo  Pão de Açúcar, a Via Varejo reúne os negócios das marcas Casas Bahia, Ponto Frio, Bartira e Extra.com.

A rede de supermercados Extra não entrou no negócio e continua sendo operada pelo Grupo Pão de Acúcar (GPA), do grupo Casino.

O Extra.com ficou com a Via Varejo quando, na reorganização societária em junho deste ano, o GPA deixou de ser acionista da Via Varejo.

Agora a Via Varejo quer vender o Extra.com de volta para o GPA.

A intenção de repassar a operação foi anunciada nesta quarta-feira (25) por Michael Klein, Presidente do Conselho de Administração da Via Varejo.

Klein disse que já existem conversas com o GPA para a transferência da operação, mas afirmou que ainda não tem o valor do Extra.com, informou o Valor Econômico.

"Contratamos uma consultoria  para avaliar o preço desse negócio para fazer seu desmembramento", afirmou em conversa com jornalistas.

Segundo Klein, o Extra.com possui logística, precificação e estratégias comerciais independentes das operações de comércio eletrônico da Casas Bahia e Pontofrio.

A integração do Extra.com na rede de supermercados Extra se dá por meio de um contrato de prestação de serviços entre Via Varejo e GPA/Casino.

Para Klein, a prioridade da Via Varejo é a retomada do crediário pela Casas Bahia.

"Temos o histórico de 30 milhões de consumidores que compraram conosco no crediário. Os antigos gestores da Via Varejo não tinham como prioridade esse negócio e abandonaram o trato com esses  clientes", afirmou.

"A Casas Bahia começou com crediário, temos que trazer esse cliente de novo para dentro da empresa".

“Estamos planejando reativar nossas próprias operações de crediário usando a infraestrutura digital do BanQi”, explicou Klein. O principal foco são os clientes sem contas bancárias ou que têm dificuldades de obter crédito.

"A vantagem do crediário [em relação ao financiamento via cartão de  crédito] é que temos mais dados do cliente, como informações sobre  pontualidade dos pagamentos. Somos uma empresa de varejo que vai usar as  ferramentas financeiras para vender mais", disse Klein.

Além do banco digital, lançado em junho, a Via Varejo está buscando na China potenciais soluções de meios de pagamento que poderiam ser implantadas no Brasil.

A Via Varejo possui 1.044 lojas no País e faturamento bruto anual de R$ 30 bilhões. No 4º trimestre de 2018 o prejuízo líquido foi de R$ 280 milhões.

* Com informações do Valor Econômico, Folha e Exame

Veja também: