A agência europeia confirmou na quarta-feira (11), que o Pharmacovigilance Risk Assessment Committee (PRAC) está investigando se três condições médicas estão relacionadas à administração de doses das vacinas da Pfizer e Moderna:

  • Síndrome nefrótica - elevação da permeabilidade da parede capilar dos glomérulos renais  (aglomerações de vasos sanguíneos microscópicos nos rins com pequenos poros através dos quais o sangue é filtrado), que implica a perda excessiva de proteínas através da urina – proteinúria. A excreção excessiva leva ao acúmulo de líquido no corpo e níveis baixos de albumina de proteína e altos níveis de gorduras no sangue.
  • Glomerulonefrite - distúrbio de glomérulos caracterizado pelo inchaço do tecido do organismo (edema) devido a retenção de líquidos, baixo volume de urina, produção de urina escura devido ao sangue nela contido, e hipertensão arterial. O edema pode manifestar-se no início como um inchaço da face e das pálpebras, depois se torna evidente nas pernas. Algumas pessoas ficam sonolentas e confusas. Nos adultos, é frequente manifestarem-se sintomas não específicos, como náusea e uma sensação geral de doença (mal-estar), são os mais comuns. Quando surge uma glomerulonefrite rapidamente progressiva, fraqueza, fadiga e febre são os sintomas iniciais mais frequentes. Também são comuns perda de apetite, náuseas, vômitos e dor abdominal e nas juntas.
  • Eritema multiforme, uma reação alérgica que se manifesta como lesões cutâneas roxas avermelhadas, às vezes ao redor da boca, olhos, que também podem afetar as membranas mucosas das cavidades internas do corpo.

A EMA não informou quantos casos das novas condições foram registrados, mas disse ter solicitado mais dados às farmacêuticas.

"A avaliação segue um pequeno número de casos relatados após a vacinação" com Comirnaty e Spikevax, "incluindo casos em que os pacientes tiveram recidiva de doenças renais pré-existentes", dizem os dois relatórios de 11 de agosto.

"Os casos relatados referem-se a suspeições de efeitos colaterais, ou seja, eventos médicos que foram observados após a vacinação, mas que não estão necessariamente relacionados ou causados pela vacina", ressaltam os documentos. "Dados e análises adicionais foram solicitados ao titular da autorização de introdução no mercado para apoiar a avaliação em andamento pelo PRAC".

Mais de 43 milhões de doses de Spikevax e 330 milhões de Comirnaty foram administradas nos países da União Europeia, de acordo com dados da EMA.

Em julho, a agência reguladora requereu adicionar miocardite e pericardite à lista de efeitos adversos nas bulas de ambas as vacinas, após avaliar centenas de casos.

Além dos problemas de produção e fornecimento, as preocupações europeias giram também em torno da segurança das vacinas de adenovírus produzidas pela AstraZeneca e Janssen / Johnson & Johnson. Em junho, a Comissão Europeia revelou que não renovaria os contratos com nenhum dos fornecedores dessas vacinas.

* Com informações do Manual MSD

Leitura recomendada:

Veja também: