A política hegemônica dos EUA e o desrespeito dos países ocidentais pelos interesses legítimos de segurança da Rússia são a causa principal da situação na Ucrânia, disse o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte em um comunicado nesta segunda-feira (28).

"A crise na Ucrânia decorre da política hegemônica dos Estados Unidos e do Ocidente, que estão agindo de forma deliberada e arbitrária em relação a outros países", disse à Agência Central de Notícias da Coreia um diplomata norte-coreano.

O Ocidente e os Estados Unidos "estavam sistematicamente minando o sistema de segurança na Europa com suas tentativas cada vez mais manifestas de implantar armas ofensivas lá e expandir a OTAN para o leste", acrescentou.

As exigências de segurança da Rússia eram legítimas e racionais, mas, no entanto, foram ignoradas, disse Pyongyang.

O Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte também lembrou as operações militares dos países ocidentais no Afeganistão, Líbia e Iraque.

A entrada da Ucrânia para a OTAN implicaria que os Estados Unidos e seus aliados militares poderiam monitorar todo o tráfego aéreo em território russo e instalar lançadores de mísseis localizados a menos de 500 km de Moscou.

Qual seria a posição dos EUA se um país vizinho tivesse o governo eleito deposto por um golpe de estado envolvendo uma potência estrangeira, e entrasse para uma organização militar hostil aos americanos e com longo histórico de invasões a outros países e bombardeios, dispondo ainda de armamento nuclear, como a OTAN?

Leitura recomendada:

Veja também: