O abastecimento deve se normalizar em até quatro dias, diz o Sindigas (Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo).

“O atraso [no abastecimento] é resultado do aumento da procura pelo produto devido à pandemia de covid-19. Não houve redução no fluxo de entrega do produto considerando uma demanda normal. O que ocorreu foi uma antecipação de compras por consumidores preocupados com a pandemia e o isolamento social”, explica o Sindigas. “Com o aumento da demanda, as entregas de gás da Petrobras para as distribuidoras registram atraso de dois dias, o que causa filas nas plantas de engarrafamento e a sensação de escassez para o consumidor final”.

A Petrobras informou que está reforçando o abastecimento de GLP por meio de importações adicionais, que se somam à produção nacional. Até o dia 10 de abril, a previsão é que três navios cheguem ao porto de Santos, volume de gás equivalente a 1,6 milhão de botijões de 13 quilos.

* Com informações da Agência Brasil

Veja também: