O gás natural é uma matéria-prima responsável por cerca de 80 por cento dos custos variáveis dos componentes essenciais para a produção de fertilizantes de nitrogênio, como amônia, ureia e nitratos.

Também há aumentos de preços significativos em fertilizantes minerais, como fosfato, potássio e enxofre.

Em outubro, houve reduções temporárias substanciais na produção europeia de fertilizantes por empresas como Yara, BASF, CF Industries e Fertiberia.

A Europa importa a maior parte das matérias-primas, junto com uma proporção crescente de seu gás natural. Os produtores estrangeiros, porém, têm limitado as exportações este ano para apoiar sua agricultura doméstica.

A China, maior produtora mundial de fosfato, suspendeu ou limitou severamente as exportações de fertilizantes ricos em fosfato a partir do final de julho. Os cortes devem durar até junho do ano que vem.

A Rússia anunciou restrições às exportações de fertilizantes de nitrogênio e fosfato por seis meses a partir de 1º de dezembro. A medida reduz os preços domésticos dos alimentos e apóia as exportações de grãos da Rússia.

Em 8 de dezembro, começarão a vigorar as sanções dos EUA contra o regime de Lukashenko com o objetivo de cortar quase todas as exportações de potássio da Bielo-Rússia – cerca de um quinto do fornecimento mundial.

Parte da queda na participação de mercado da Bielo-Rússia poderá ser compensada pelo aumento dos embarques do grupo canadense Nutrien, que possui enormes reservas de potássio em Saskatchewan. Os preços da Nutrien para produtos de potássio vendidos fora da América do Norte aumentaram 105% este ano.

Evolução da cotação das ações da Nutrien Ltd na NYSE durante a pandemia. Fonte/Arte: © Investing.com
Evolução da cotação das ações da Nutrien na NYSE durante a pandemia. © Investing.com

Naturalmente, os preços dos fertilizantes subiram no passado, apenas para cair à medida que os produtores aumentaram a capacidade e os agricultores diminuíram o uso. Picos semelhantes aos atuais ocorreram no início de 2008, alguns meses antes da crise financeira global.

A diferença desta vez, principalmente na Europa, é que a política climática significa que não há financiamento disponível para a expansão da produção de gás natural.

O problema vai além de uma ameaça imediata de escassez de energia, ou mesmo da possibilidade de apagões contínuos em caso de períodos prolongados de frio.

Os agricultores podem economizar nas aplicações de potássio e fosfato por uma ou duas safras, mas a produção diminuirá rapidamente sem fertilizantes de nitrogênio.

O enigma de cortar as emissões de carbono e ao mesmo tempo manter a produção de alimentos não foi resolvido.

Congelar no escuro com fome não deixa os eleitores felizes, destaca o FT.

* Com informações do Financial Times (FT).

Veja também: