Segundo o Ministério da Saúde, a Rede Nacional de Saúde Pública e Privada conta com 200 epidemiologistas e 15 hospitais para tratamento e resposta em casos de coronavírus.

As autoridades de saúde equatorianas reiteram que o país não tem casos da doença, mas como prevenção foram adotados controles seletivos que se concentram em viajantes da China, Irã, Itália e Coreia do Sul.

O ministro de Transporte e Obras Públicas, Gabriel Martínez, disse que o controle será aumentado. “Havia a verificação das pessoas que tinham sintomas nos aviões. Agora estaremos selecionando indistintamente da presença de sintomas as pessoas provenientes desses países, que serão verificadas assim que passarem na migração”.

Galápagos

Norman Wray, presidente do Conselho de Governo de Galápagos, anunciou que os sistemas de controle e vigilância serão fortalecidos nos dois pontos de entrada aérea de Galápagos, que são Quito e Guayaquil, e em dois postos de controle de imigração, Baltra e San Cristóbal. Conjuntamente com o Ministério da Saúde serão realizados os controles necessários para identificar quaisquer sintomas que possam atrair atenção ou causar preocupação.

“Fazemos isso para fortalecer e proteger as Ilhas Galápagos de qualquer vulnerabilidade a esse problema. Além disso, fortaleceremos os controles para o turismo navegável, ou seja, aquele que vem, por exemplo, de veleiros que entram na reserva marinha”, disse Wray.

* Com informações El Universo

Veja também: