"Desde a criação dos Acordos de Abraão, o Ministério da Economia e Indústria vem trabalhando para expandir as relações econômicas entre Israel e os Emirados Árabes Unidos e para concretizar seu potencial econômico", disse Barbivai.

"A finalização das negociações é um marco significativo e histórico na relação entre os países e continuaremos a ajudar a comunidade empresarial israelense a estabelecer relações comerciais nos Emirados Árabes Unidos", acrescentou.

Thani Al Zeyoudi disse em rede social na sexta-feira que "Concluímos conversações sobre um Acordo de Parceria Econômica Abrangente com Israel e agora está pronto para assinatura. Este acordo parte dos históricos Acordos de Abraão e consolidará uma das relações comerciais emergentes mais importantes e promissoras do mundo".

O acordo prevê que cerca de 95% dos produtos comercializados entre Israel e os Emirados Árabes Unidos se tornarão livres de alfândega, imediatamente ou gradualmente, disse a ministra israelense.

Ela também anunciou que o acordo abrangerá regulação, alfândega, serviços, compras governamentais, e-commerce e a proteção dos direitos de propriedade intelectual.

Os Emirados Árabes Unidos e Israel, que atingiram cerca de US$ 900 milhões em comércio bilateral em 2021, normalizaram suas relações em 2020 como parte dos Acordos de Abraham intermediados pelos EUA. Os acordos visavam estabelecer a paz no Oriente Médio e melhorar a cooperação entre os países da região.

Leitura recomendada:

Veja também: