“Estamos aqui esta tarde para mudar o curso da história”, disse o Presidente Donald Trump na cerimônia de assinatura.

“Após décadas de conflito de divisão, marcamos o amanhecer de um novo Oriente Médio. Graças à grande coragem dos líderes desses três países, damos um grande passo em direção a um futuro no qual pessoas de todas as religiões e origens vivam juntas em paz e prosperidade”, disse o presidente americano.

Nos termos dos “Acordos de Abraham”, os países concordaram em estabelecer embaixadas, receber turistas e se envolver em relações comerciais bilaterais.

Trump diz que é apenas o começo para fazer a paz em toda a região.

“Juntos, esses acordos servirão de base para uma paz abrangente em toda a região, algo que ninguém pensava ser possível, certamente não nos dias de hoje, talvez em décadas a partir de agora, mas baseado em interesses compartilhados, respeito mútuo, e amizade”, disse Trump.

"Por gerações, o povo do Oriente Médio foi contido por antigos conflitos, hostilidades, mentiras, traição, tantas coisas os impediram, na verdade mentiras de que os judeus e árabes eram inimigos e que a mesquita de Al Aqsa estava sob ataque", lembrou o presidente. “Essas mentiras passadas de geração em geração alimentaram um ciclo vicioso de terror e violência que se espalhou pela região e por todo o mundo”.

“Esses acordos provam que as nações da região estão se libertando das abordagens fracassadas do passado”, disse Trump. “O povo do Oriente Médio não permitirá mais que o ódio a Israel seja fomentado como desculpa para o radicalismo ou extremismo”.

Ministro das Relações Exteriores do Bahrain, Dr. Abdullatif bin Rashid Al-Zayani, Primeiro-Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, Presidente dos EUA, Donald J. Trump e o Ministro das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos (UAE), Sheikh Abdullah bin Zayed Al Nahyan. Official White House Photo by Joyce N. Boghosian
Ministro das Relações Exteriores do Bahrain, Dr. Abdullatif bin Rashid Al-Zayani, Primeiro-Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, Presidente dos EUA, Donald J. Trump e o Ministro das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos (UAE), Sheikh Abdullah bin Zayed Al Nahyan. Official White House Photo by Joyce N. Boghosian

Donald Trump recebeu as delegações dos três países no Rose Garden.

O Ministro das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos (UAE), Sheikh Abdullah bin Zayed Al Nahyan, disse: “Senhoras e senhores, estamos testemunhando hoje uma nova tendência que criará um caminho melhor para o Oriente Médio. Este acordo de paz, que é uma conquista histórica para os Estados Unidos da América, o Estado de Israel e os Emirados Árabes Unidos, continuará a ter um impacto positivo, pois acreditamos que as reverberações se refletirão em toda a região”.

O Ministro das Relações Exteriores do Bahrain, Dr. Abdullatif bin Rashid Al-Zayani, disse: “O acordo de hoje é um primeiro passo importante. E agora é nossa incumbência trabalhar urgente e ativamente para trazer a paz e a segurança duradouras que nossos povos merecem”, acrescentando que uma solução entre israelenses e palestinos pode ser alcançada.

O Primeiro-Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse que os acordos seriam inimagináveis alguns anos atrás, agradecendo ao Presidente Trump e seu governo por mediar as negociações.

Netanyahu enfatizou que os acordos são o começo para encerrar os conflitos árabe-israelenses "de uma vez por todas".

Encontrando-se com Netanyahu mais cedo no Sala Oval, Trump disse: "Teremos pelo menos cinco ou seis países chegando muito rapidamente" para firmar seus próprios acordos com Israel. Mas não citou as nações envolvidas nas negociações.

* Com informações de Sara Carter, Zee Media

Veja também: