A autoridade monetária observou que o ganho "foi reflexo da abertura gradual da economia e das famílias e empresas se adaptando melhor à situação de saúde e à sua evolução durante o ano".

Todas as atividades econômicas examinadas, com exceção da mineração, cresceram no ano passado, com as maiores variações no comércio e serviços pessoais, afirma o relatório.

O consumo em geral aumentou +18%, impulsionado por restaurantes, hotéis e serviços de saúde, além de vestuário e alimentação.

"A demanda interna permaneceu dinâmica ao longo do ano, impulsionada pelo consumo das famílias. O investimento também teve uma recuperação em 2021", disse o banco.

Em relação ao balanço comercial, as importações registraram aumento, enquanto as exportações caíram, o que desencadeou "perda de exportações líquidas".

Veja também: