O primeiro-ministro italiano foi questionado se ele está confiante de que a Itália será capaz de pagar pelo fornecimento sem violar as sanções e, portanto, o fluxo de gás para a Itália não será afetado.

"Eu estou realmente bastante confiante, mas por uma razão boba. Não há um pronunciamento oficial do que significa violar as sanções. Ninguém nunca disse nada sobre se os pagamentos de rublos violam as sanções ou não, como esses pagamentos são organizados",  disse o primeiro-ministro.

Em 27 de abril, a Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, alertou que as companhias não deveriam aderir às demandas russas. "Isso seria uma violação das sanções, então um alto risco para as empresas".

Contudo, Draghi disse que “há uma grande zona cinzenta” sobre o pagamento em rublos e sustentou que numerosas empresas na Alemanha já tinham pago nesta divisa.

"Na verdade, a maioria dos importadores de gás já abriu uma conta em rublos com a Gazprom", acrescentou Draghi, em uma revelação de que, nos bastidores, a Europa não apenas continua a pagar bilhões à Rússia todos os dias, mas está fazendo isso nos termos de Putin, ajudando a fortalecer o rublo.

O conglomerado italiano ENI, controlado pelo Estado em 30%, deve fazer um primeiro pagamento das suas compras de gás russo em rublos em meados de maio.

Veja também: