Pessoas sem endereço na Dinamarca devem apresentar um teste negativo de infecção por SARS-CoV-2 feito nas últimas 24 horas antes de entrar no país escandinavo.

Os residentes terão permissão para fazer um teste até 24 horas após a chegada.

O Comitê Epidêmico do Parlamento aprovou a nova restrição de viagens nesta quarta-feira (22), informou a agência de notícias Ritzau.

A regra entra em vigor em 27 de dezembro e vigorará por um período inicial de três semanas até 17 de janeiro, porém algumas exceções se aplicam.

Crianças menores de 15 anos e pessoas com teste positivo nos últimos seis meses não serão abrangidas pela regra.

As pessoas que viajam a trabalho ou têm morada nas regiões fronteiriças de Slesvig-Holsten (Alemanha) e Blekinge, Skåne, Halland e Västra Götaland (Suécia) também estão isentas do teste de viagem. Os viajantes da ilha dinamarquesa Bornholm que transitam pela Suécia também estão isentos.

Os viajantes que transitam pela Dinamarca e permanecem menos de um dia antes de partir também não são obrigados a fazer o teste. Isso permite, por exemplo, que residentes suecos que desembarcam no Aeroporto de Copenhagen para prosseguir suas viagens por terra sejam dispensados do teste.

O Ministro da Saúde, Magnus Heunicke, disse em entrevista coletiva que o governo era a favor da nova exigência.

"Em comparação com muitos, muitos outros países, testamos muito, e não faz muito sentido que testemos tanto se essas pessoas completamente não testadas vierem", disse Heunicke de acordo com a emissora DR.

"A ideia é que deveríamos ter mais certeza de que todo mundo que entra na Dinamarca – e eles são bem-vindos – tem teste negativo, antes mesmo de entrar no avião, para que não recebamos aviões cheios de contaminados por Ômicron em nossa sociedade".

Para Peder Hvelplund, porta-voz do partido Unity List, há dúvidas da eficácia da medida em ajudar a conter a disseminação da nova variante.

"Estou um pouco inseguro de quão grande efeito terá. Neste momento, temos uma situação em que a infecção está muito presente no país e, portanto, teria feito mais sentido se tivesse sido realizado desde o início, quando foi encontrado o Ômicron".

Embora a rápida evolução de infecções possa aparentar ser decorrente da entrada da Ômicron no país, dados oficiais publicados para o período de 22 de novembro a 14 de dezembro de 2021 sugerem que a falha da vacina para conter as demais variantes é a maior causa da disparada de casos.

Média móvel de 7 dias de novas infecções diárias por SARS-CoV-2 na Dinamarca. Arte: © Our World in Data
Média móvel de 7 dias de novas infecções diárias por SARS-CoV-2 na Dinamarca. Arte: © Our World in Data

A maioria de novas infecções na Dinamarca, entre 22 de novembro e 14 de dezembro, ocorreu em pessoas que foram vacinadas ou receberam reforço, independentemente da variante.

Mais de 76 por cento das infecções não Ômicron na Dinamarca ocorreram em pessoas vacinadas, junto com 91 por cento das infecções por Ômicron.

Status de vacinação para indivíduos ≥12 anos infectados com Ômicron em comparação com outras variantes. Os dados incluídos na tabela são de 22 de novembro a 14 de dezembro de 2021.
Status de vacinação para indivíduos ≥12 anos infectados com Ômicron em comparação com outras variantes. Os dados incluídos na tabela são de 22 de novembro a 14 de dezembro de 2021.

Muitas das infecções em não vacinados ocorreram em crianças e adolescentes menores de 15 anos, notando-se ainda que a faixa etária aparenta ser menos suscetível à variante Ômicron.

Número de infecções por SARS-CoV-2 por faixa etária na Dinamarca. Os dados incluídos no gráfico são de 22 de novembro a 14 de dezembro de 2021.
Número de infecções por SARS-CoV-2 por faixa etária na Dinamarca. Os dados incluídos no gráfico são de 22 de novembro a 14 de dezembro de 2021.

Observou-se ainda uma desaceleração no crescimento de hospitalizações e de internações em UTI paralela à ascensão da variante Ômicron no país. Essas taxas tinham aumentado cerca de cinco vezes entre meados de outubro e o final de novembro, portanto, antes da nova variante ganhar expressão na Dinamarca.

Internações por infecções do SARS-CoV-2 na Dinamarca. © Our World in Data
Internações por infecções do SARS-CoV-2 na Dinamarca. © Our World in Data

Leitura recomendada:

Veja também: