Quando comparado a junho do ano passado, o índice apresentou aumento de 9,9%, menor do que o ocorrido no 1º semestre de  2018 (11,1%).

Segundo o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, este  crescimento abaixo do ano anterior foi influenciado pela alta da inflação em janeiro, fevereiro e março, puxada principalmente por  alimentos e combustíveis. O movimento fez com que as famílias optassem por priorizar pagar as contas domésticas, ao invés de buscar crédito. O movimento começou a se inverter em abril e teve sua principal melhora em  junho/19, quanto a inflação foi de 0,01%, o menor patamar do ano.

Em  comparação com o mesmo período do ano passado, todas as regiões registraram aumento na procura por crédito, mas, pela primeira vez, a região Sudeste acusou menor crescimento proporcional:

  • Centro-Oeste +13,4%
  • Norte +12,1%
  • Nordeste +10,0%
  • Sul +8,2%
  • Sudeste +5,3%

A  demanda por crédito também apresentou variações positivas em todas as faixas de renda mensal:

  • Até  R$ 500  +8,3%
  • R$ 500 – R$ 1.000 +9%
  • R$ 1.000 – R$ 2.000 +7,1%
  • R$  2.000 – R$ 5.000 +6,5%
  • R$ 5.000 – R$ 10.000 +6,1%
  • Acima de R$ 10.000 +6,1%

* Com dados e informações da Serasa Experian

Veja também: