O Governo do Estado de São Paulo lança nesta segunda-feira (20) o portal #CulturaEmCasa, com 200 vídeos e 4 mil livros.

Os serviços de armazenamento e transmissão do conteúdo audiovisual são prestados pela Vimeo, que utiliza a rede de distribuição de conteúdo (CDN) da Fastly, com pontos de presença (PoP) em São Paulo, Rio e Curitiba.

As lives utilizam os serviços do Youtube. O acesso aos livros é da Amazon.

Já o portal, no momento está hospedado no Arizona (EUA), na GoDaddy, e o acesso é sofrível. Por sua vez, o site não verifica o endereço de e-mail no cadastramento e aponta para páginas não existentes ou sem usar acesso seguro.

O portal reúne conteúdo da OSESP, Jazz Sinfônica, Pinacoteca, Museu da Imagem e do Som (MIS), Museu do Futebol, São Paulo Companhia de Dança, Projeto Guri, Theatro São Pedro e Teatro Sérgio Cardoso. Futuramente apresentará também conteúdo de produtores independentes e de instituições culturais privadas.

Para marcar o lançamento, estão programadas 120 lives – 60 com artistas e 60 com aulas e oficinas. A partir de terça-feira (21), às 21h30, vai ao ar o Festival #CulturaEmCasa, em que artistas farão apresentações ao vivo no site. Erasmo Carlos, Leci Brandão, Eva Wilma e Casseta & Planeta são alguns dos nomes confirmados.

A partir de 27 de abril, tem início o Intensivão #CulturaEmCasa. Todos os dias, ao meio-dia, profissionais compartilham seu conhecimento e expertise em aulas sobre os diversos ofícios nos campos da cultura e da criatividade.

“Vamos disponibilizar conteúdo cultural, artístico e criativo de grande qualidade para todos os públicos, totalmente gratuito e com geração de renda para os profissionais do setor”, explica o Secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. “Temos mais de 50 instituições culturais vinculadas, entre museus, centros culturais, corpos artísticos, salas de espetáculos, oficinas culturais, fábricas de cultura e outras”.

O projeto foi acelerado remanejando os recursos de difusão presencial para a difusão virtual. “As pessoas continuam precisando de arte, de cultura e de criatividade”, diz o Secretário.

Produção independente

O portal fará licenciamento de projetos de produtores culturais de todo o Estado de São Paulo.

”A ideia é que [o portal] seja também um instrumento de geração de renda para artistas, técnicos, produtores e profissionais da cultura de forma geral”, destaca Sá Leitão.

O setor audiovisual foi o primeiro a ser afetado pela pandemia do coronavírus e cerca de 650 mil profissionais no Estado estão sem renda.

Os vídeos serão selecionados por curadores da Amigos da Arte, organização social que administra o projeto.

* Com informações do Governo do Estado de São Paulo

Veja também: