Em nota enviada à agência Lusa, a APICER adverte para o risco de colapso estrutural do setor, com muitas empresas paradas em virtude da disparada do preço do gás natural, que representa entre 30% a 40% dos custos de produção, e das licenças de emissão de carbono no mercado europeu.

“As empresas do setor estão a ser fortemente penalizadas pelo aumento, sem precedentes, do preço dos combustíveis, designadamente do gás natural” explica o presidente da APICER, José Luís Sequeira, citado no comunicado.

“Se tivermos em conta que a indústria cerâmica é dos maiores consumidores de gás natural no contexto da indústria transformadora podemos entender as enormes dificuldades com que atualmente as empresas se deparam e que terão inevitáveis consequências na sua atividade”, acrescenta.

Portugal é o maior produtor da Europa de louça doméstica e a indústria da cerâmica e cristalaria quer afirmar-se ainda mais no panorama internacional.

Antes da pandemia, em 2019, a indústria cerâmica portuguesa era composta por 1.200 empresas, empregava 18.500 trabalhadores e faturou 1,2 bilhões de euros no ano, dos quais cerca de 60% em vendas para o exterior.

"Temos vindo a acrescentar inovação à tradição, com resultados de que nos orgulhamos, nomeadamente por sermos o maior produtor europeu de louça doméstica, e termos respostas adequadas ao requinte, ao design e à funcionalidade dos materiais cerâmicos para pavimentos, revestimentos e até coberturas cerâmicas, sejam mais ou menos exigentes os requisitos da arquitetura", disse o presidente da APICER, em entrevista ao DinheiroViVo.pt em março de 2021.

"No âmbito do projeto INTERCER - Promoção da Internacionalização da Cerâmica Portuguesa, que tem por objetivo reforçar a notoriedade e competitividade da cerâmica portuguesa, os mercados alvo são, para o subsetor da cerâmica utilitária e decorativa, os Estados Unidos, Alemanha, França e Itália e, para o subsetor dos pavimentos e revestimentos cerâmicos, os Estados Unidos, Alemanha e França", disse Sequeira.

Em 2020, a indústria cerâmica portuguesa exportou 662 milhões de euros, com embarques para mais de 160 mercados internacionais, adicionando líquidos 475 milhões de euros ao balanço comercial do país.

Para o conjunto de produtos cerâmicos, o mercado interno representa cerca de 40% do volume de negócios das indústrias. Os produtos cerâmicos destinados ao setor da construção civil – tijolos e telhas, louça sanitária e pavimentos e revestimentos cerâmicos – o mercado interno vem evoluindo favoravelmente ao longo dos últimos anos, acompanhando o crescimento do mercado da construção.

Veja também: