A estratégia deve ser repetida na manhã desta sexta-feira (6) caso seja  mantida a paralisação dos motoristas de ônibus municipais.

O rodízio na cidade de São Paulo foi suspenso hoje em decorrência da  greve de ônibus, informou Edson Caram, Secretário de Mobilidade e Transportes, em entrevista para José Datena no Brasil Urgente.

O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário  Urbano de São Paulo (SindMotoristas) protesta contra a redução da frota. O sindicato alega que a Prefeitura já retirou 450 ônibus e até o final do ano está prevista a retirada de outros mil.

Em contato com a reportagem do UOL, a assessoria do Sindicato confirmou que haverá paralisação geral amanhã (6).

“O Sindicato vai tentar manter um percentual mínimo de ônibus  circulando, mas como se trata de redução de postos de trabalho e de  salário, é difícil convencê-los a ir trabalhar. Agora, estamos  retornando pela população que precisa, mas foi realizada uma assembleia e  manteve decretação de greve a partir de 0h”, afirmou o advogado do  Sindmotoristas, José Juscelino Medeiros, ao programa  Cidade Alerta, da Record TV.

O desafio de voltar para casa já  começa nesta quinta-feira (5), após horas de manifestações que tomaram as principais vias e corredores e fecharam terminais em todas as  regiões de São Paulo.

Desde o anúncio da greve, por volta das  17h, a operação de ônibus nos terminais urbanos foi retomada  gradativamente. O site Olho Vivo, da SPTrans, está monitorando a operação das linhas a fim de auxiliar a população.

* Com informações do Governo do Estado de São Paulo, Brasil Urgente, Cidade Alerta e UOL

Atualização 06/09/2019:

Termina greve de motoristas e cobradores

Camila Boehm - Repórter da Agência Brasil – São Paulo

Após reunião com a Prefeitura, motoristas e cobradores de  ônibus de São Paulo encerraram, por volta das 16h de hoje (6), a greve  que tinham iniciado na madrugada desta sexta-feira. Segundo a São Paulo  Transporte S/A (SPTrans), no momento, todos os terminais estão em  operação e as linhas circulam por toda a cidade.

Além do acordo para o fim da paralisação, o Prefeito Bruno Covas  anunciou a assinatura dos 32 novos contratos de licitação para o sistema  de transporte na cidade. O rodízio municipal de veículos ficou suspenso  no dia de hoje.

A SPTrans informou que, às 15h, o sistema municipal de transporte  público coletivo operava com 70% da frota de veículos para a faixa  horária. No início da tarde, 22 linhas não circulavam. Três linhas de  trólebus faziam desvios e uma estava paralisada por causa de  manifestação na região central.

No fim da tarde de ontem (5), a categoria decidiu, em assembleia,  entrar em greve nesta madrugada. Em decisão judicial, a prefeitura  conseguiu uma liminar determinando o funcionamento de pelo menos 70% do serviço.

De acordo com a SPTrans, sindicalistas bloquearam a entrada e a saída do  Terminal Parque Dom Pedro às 8h20. Os demais 29 terminais municipais  estavam em operação.

O prefeito Bruno Covas informou que vai antecipar o repasse destinado às  empresas de ônibus para que estas possam pagar a PLR aos funcionários  na próxima quarta-feira (11).

“Vai ser antecipado um valor em torno de  R$ 40 milhões para as empresas concessionárias que depois vai ser  abatido da receita a que elas têm direito”, acrescentou.