Tedros observou que as vacinas covid reduzem o risco de doenças graves e morte, mas os vacinados podem contrair e espalhar o vírus conforme as interações sociais retornam aos níveis pré-pandêmicos.

"Mesmo se você for vacinado, continue a tomar precauções para evitar ser infectado e infectar outra pessoa que pode morrer", disse Tedros.

"Isso significa usar máscara, manter distância, evitar multidões e encontrar outras pessoas do lado de fora, se puder, ou em um espaço bem ventilado dentro de casa", acrescentou.

O escritório da OMS que cobre a Europa e a Ásia Central disse na terça-feira (23) que essas regiões ultrapassaram 1,5 milhão de óbitos por covid e podem sofrer 700.000 mortes a mais até março de 2022.

A Europa representou 67% do total de novos casos de covid no mundo durante a semana encerrada em 21 de novembro, com mais de 2,4 milhões de infecções, um aumento de 11% em relação aos sete dias anteriores.

"Na Europa, mesmo em meio a um ressurgimento muito, muito forte de casos, e mesmo no meio de alguns desses países sob enorme pressão em seus sistemas de saúde, estamos vendo níveis pré-pandêmicos de interação social, aglomeração e muitas outras coisas", disse o Dr. Mike Ryan, diretor executivo do Programa de Emergências de Saúde da OMS. “E a realidade é que o vírus continuará se transmitindo intensamente naquele ambiente”.

Expandir a cobertura de vacinação, usar máscaras, usar distanciamento e melhorar a ventilação dentro de casa pode ajudar a reduzir a transmissão do vírus sem recorrer a lockdowns, disse Maria Van Kerkhove, líder técnica da OMS.

“Nós entendemos que as pessoas precisam voltar às suas vidas, retomar ao trabalho. Desde o início, nós dissemos que as políticas devem ser feitas levando-se em consideração não só a vacinação, mas os impactos dela”, destacou.

Estados Unidos

As infecções por covid também estão aumentando nos EUA, com mais de 95.000 novos positivos e 1.100 óbitos relatados diariamente, em média, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

Mais de 51.000 americanos estão atualmente hospitalizados com covid-19, de acordo com a média de sete dias desta quarta-feira, um aumento de 7% em relação à semana anterior.

Scott Gottlieb, ex-chefe da Food and Drug Administration (FDA) e membro do conselho de administração da Pfizer, disse à CNBC que mais pessoas vacinadas estão contraindo o vírus do que se imagina, devido ao fraco monitoramento de infecções por falha de proteção de vacinas.

Neste ponto, acho que precisamos aceitar que há muitas infecções acontecendo em pessoas totalmente vacinadas, reconheceu Gottlieb.

Warp Speed

A multibilionária Operação Warp Speed do governo Trump foi criada com a meta de desenvolver, fabricar e distribuir centenas de milhões de doses de vacinas Covid-19 até o final de 2020. Contudo, os protocolos dos ensaios revelaram que a prevenção de infecções e de doenças graves não eram exigidas para aprovação.

A prevenção da infecção não era um critério de sucesso para nenhuma vacina.

Na verdade, todos os desfechos requeriam infecções confirmadas.

A medição das diferenças apenas entre os infectados pelo SARS-CoV-2 ressalta a conclusão implícita de que as vacinas não devem prevenir a infecção, apenas modificar os sintomas dos infectados.

Nos protocolos é concebível que uma vacina possa ser considerada eficaz – e aprovada – por apenas mascarar casos leves.

* Com informações da CNBC, Organização Mundial de Saúde (OMS)

Veja também: