A declaração foi dada ao mesmo tempo em que o ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, era questionado por deputados sobre o assunto, em Brasília.

O ministro foi à Comissão de Trabalho,  Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados para esclarecer  sobre essa possível privatização. Ao contrário do presidente, Marcos  Pontes negou que haja uma decisão sobre os Correios.

Além  dos parlamentares, participaram da audiência, representantes dos  trabalhadores dos Correios, como o presidente da Federação Nacional dos  Trabalhadores dos Correios, José Rivaldo. Ele mencionou que a  privatização pode reduzir o número de cidades com serviços de entrega.

Defendendo  a privatização, o deputado Kim Kataguiri, do DEM, questionou a  qualidade dos serviços prestados pelos Correios e, segundo ele, a falta  de concorrência contribui para isso.