O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (16) pelo prefeito de São Bernardo, Orlando Morando.

Segundo Morando, a Construtora São José estaria pagando R$ 550 milhões (US$ 100 milhões) pelas instalações, que passaria a abrigar uma montadora ou uma empresa de logística.

O prefeito foi informado pelos diretores da construtora sobre o investimento. Caso a empresa não consiga atrair uma montadora, o local deverá ser ocupado por uma empresa do setor logístico. De acordo com o Plano Diretor da cidade, o espaço terá de ser utilizado para atividades industriais ou de logística.

A Prefeitura estaria disposta a auxiliar e viabilizar o negócio para gerar empregos.

“Desde o anúncio da saída Ford, que foi de maneira repentina, nós, da Prefeitura, buscamos por diversos mecanismos a preservação dos postos de trabalho. E, agora, com este negócio, ascende uma esperança para a geração de empregos, que terão o impacto muito positivo em toda a cidade e Estado”, afirmou o Prefeito Orlando Morando, em nota.

No mês passado, o presidente da Ford América do Sul, Lyle Watters, informou ao Estadão que havia novos interessados na fábrica, “incluindo não automotivos e com alto potencial de geração de empregos”.

Quando anunciou o fechamento da unidade industrial de São Bernardo, em fevereiro de 2019, a fábrica empregava 2,8 mil trabalhadores e produzia o automóvel Fiesta e caminhões. O fim das operações ocorreu em outubro.

Durante o período, a Ford negociou a venda da fábrica com duas montadoras chinesas e com o grupo brasileiro Caoa.

* Com informações da Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo do Campo, Ford, Estadão

Veja também:

Leitura recomendada: