As metas estabelecidas em um relatório do governo foram entregues pelo Primeiro-Ministro chinês Li Keqiang à legislatura nacional, que começou sua sessão anual neste sábado (5).

"Isso representa uma taxa de crescimento médio-alta, dado o nosso grande agregado econômico, e demonstra nossa capacidade de se mover proativamente", disse Li.

A economia chinesa teve uma forte recuperação em 2021, com aumento do PIB de +8,1%, após ter sido a única grande economia a registrar crescimento em 2020.

Uma meta de crescimento do PIB de cerca de 5,5% para a segunda maior economia do mundo deve impulsionar significativamente a recuperação econômica global, disse Zhang Yuyan, economista da Academia Chinesa de Ciências Sociais e conselheiro político nacional, à Xinhua, acrescentando que o país é totalmente capaz de fazer progressos econômicos, mantendo a estabilidade.

"Considerando que os fundamentos de longo prazo da China permanecem inalterados, sua meta para 2022 é viável e ajudará a aumentar a confiança do mercado no médio e longo prazo, injetando assim impulso na recuperação econômica global", disse à Xinhua Jiang Ying, vice-presidente da Deloitte China e conselheiro político nacional.

Desenvolvimento sustentado

Uma série de outras metas de desenvolvimento foram reveladas no relatório, incluindo emprego, investimento, comércio exterior e inflação.

Este ano, a China pretende criar mais de 11 milhões de novos empregos urbanos, manter uma taxa de desemprego urbana pesquisada de não mais de 5,5%, manter a produção de grãos acima de 650 milhões de toneladas métricas e reduzir a relação de seu déficit para o PIB em cerca de 2,8%.

As metas baseiam-se principalmente na necessidade de manter o emprego estável, atender às necessidades básicas de vida e se proteger contra os riscos, disse Li, observando que elas também estão de acordo com as taxas médias de crescimento dos últimos dois anos e as metas do 14º Plano Quinquenal (2021-2025).

O relatório esboçou as principais tarefas da China para este ano, incluindo manter os principais indicadores econômicos dentro de uma faixa apropriada, aprofundar firmemente as reformas, implementar a estratégia de desenvolvimento orientada à inovação e promover a vitalização rural em todo o mundo.

No relatório, Li disse ainda que as pressões e desafios permanecem à frente devido ao aumento das incertezas externas.

Em 2022, a economia chinesa enfrenta as pressões triplas de redução da demanda, a oferta interrompida e o enfraquecimento das expectativas, disse o Primeiro-Ministro chinês.

As autoridades têm adotado uma série de providências para lidar com as pressões, incluindo a diminuição das taxas de juros dos empréstimos de médio prazo e a redução da taxa de empréstimo de referência.

Para cumprir as metas, o país manterá sua política fiscal proativa mais eficaz e intensificará a implementação de uma política monetária prudente, disse Li.

Esforços também serão feitos para expandir a escala de novos empréstimos, garantir que os aumentos na oferta de dinheiro e financiamento agregado estejam em sintonia com o crescimento econômico nominal e manter a taxa de alavancagem macro geralmente estável.

Para melhor atender à demanda de liquidez das entidades de mercado, o relatório diz que as instituições financeiras serão incentivadas a reduzir as taxas de juros do empréstimo real e reduzir as taxas.

Em 2022, a China pretende ainda ampliar as políticas que apoiam a fabricação, micro e pequenas empresas e pessoas autônomas, com restituições e renúncias fiscais que totalizam cerca de 400 bilhões de dólares, de acordo com o relatório.

"Não há dúvida de que a economia da China suportará qualquer pressão descendente e continuará crescendo constantemente no futuro", disse Li.

* Com informações da Xinhua

Veja também: