Quase metade da projeção estadual  virá da soja, cerca de 33 milhões de toneladas. Outras 31 milhões serão de milho segunda safra e 1,79 milhão de toneladas de algodão em pluma. Entre as  grandes culturas mato-grossenses, somente a soja tem estimativa de  crescimento anual (2%).

Reprodução/IBGE

Entre as Grandes Regiões, o volume da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas apresentou a seguinte distribuição: Centro-Oeste, 111 milhões de toneladas (Mt); Sul, 77 Mt; Sudeste, 23 Mt; Nordeste, 19 Mt e Norte, 10 Mt.

O segundo prognóstico do IBGE para a safra 2020 aponta um recorde de 241 Mt. Estima-se que 96% da produção nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas será composta por soja (50,1%), milho (38,5%), arroz (4,3%), algodão (1,8%) e feijão (1,2%).

As projeções iniciais do IBGE preveem uma redução de 7,5% na produção de milho (7,5 Mt) e um crescimento de 6,7% na produção de soja (7,6 Mt).

Com relação ao feijão primeira safra, devido a problemas de chuva na colheita nas safras anteriores, a primeira previsão de 2019/20 da Conab indica redução de 4% na área a ser  cultivada. Neste momento, a cultura perde espaço para o milho e a soja,  que apresentam melhor rentabilidade.

A produção de trigo de 2019 encontra-se 0,9% menor que a de 2018. A produção gaúcha foi estimada em  2,3 milhões de toneladas, aumento de 32% em relação a 2018, o que torna o Rio Grande do Sul o maior produtor nacional. O Estado também é o maior produtor de arroz do País, com participação de 70% do total.

* Com dados e informações do IBGE e Conab

Veja também: