A capital paulista concentra, sozinha, 73% das pessoas identificadas  com a doença, com 1.314 casos. No balanço anterior, a cidade  tinha 997 registros de sarampo. Outros municípios da Grande São Paulo  também lideram o número de casos, como Guarulhos, com 56 ocorrências,  Santo André (47) e São Bernardo do Campo (35).

Ao todo, 74 cidades paulistas registraram ocorrência de sarampo neste  ano. Nesses municípios, está sendo feita uma ação de vacinação em bebês  entre 6 meses e um ano de idade.

Essa dose extra de vacina não será, segundo a secretaria,  contabilizada no calendário nacional de vacinação. Por isso, as crianças  ainda devem ser vacinadas aos 12 meses com a tríplice viral e aos 15  meses com a tetraviral. A vacina tríplice viral protege contra sarampo,  rubéola e caxumba. A tetra acrescenta a imunização contra varicela.

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, provocada por vírus, grave e  transmitida pela fala, tosse e espirro. A doença é extremamente  contagiosa, mas pode ser prevenida pela vacina. O sarampo caracteriza-se  principalmente por febre alta, dor de cabeça, manchas vermelhas no  corpo, tosse, coriza, conjuntivite e manchas brancas na mucosa bucal.

Atualização:

Saúde vacina bebês contra o sarampo em 74 cidades do Estado de SP

São Paulo segue vacinando contra sarampo bebês com idade entre 6  meses a menores de 12 meses que residem ou têm viagens programadas para  cidades com casos confirmados da doença. A estratégia abrange 74 cidades  paulistas (confira lista abaixo). A relação de cidades com essa  recomendação é atualizada semanalmente, com base na situação  epidemiológica. Se necessário, novos municípios serão incluídos.

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, rubéola e caxumba. No  caso dos bebês que vão viajar para esses locais, a vacinação deve ser  feita pelo menos 15 dias antes do deslocamento.

A aplicação da chamada “dose D” visa proteger as crianças e não será  contabilizada no calendário nacional de vacinação da criança, ou seja,  os pais ou responsáveis deverão levar as crianças aos postos para  receber a tríplice viral aos 12 meses e também aos 15 meses para  aplicação do reforço com a tetraviral, que protege também contra  varicela. Após a aplicação da “dose D”, é preciso aguardar pelo menos 30  dias para aplicação da tríplice aos 12 meses, como prevê o calendário.

Neste ano, até o momento, há 1.797 casos confirmados no Estado; destes, 73% se concentram na capital, com 1.314 casos.

Os municípios devem seguir realizando ações de bloqueio diante da  notificação de casos da doença. Além disso, as pessoas que tiverem  dúvidas quanto à imunização adequada podem procurar um posto de  vacinação, de preferência com a carteira vacinal, para que um  profissional de saúde verifique a necessidade de aplicação da dose.

Relação das cidades com imunização de bebês de 6 a menores de 12 meses:

Cidades Nº de casos
Araçariguama 3
Arthur Nogueira 1
Atibaia 1
Barueri 6
Bauru 4
Caçapava 10
Cajamar 2
Caieiras 8
Campinas 13
Carapicuíba 3
Catanduva 3
Cotia 2
Diadema 7
Embu 1
Embu-Guaçu 2
Fernandópolis 29
Franca 6
Francisco Morato 10
Franco da Rocha 13
Guararema 2
Guaratinguetá 1
Guarulhos 56
Hortolândia 2
Indaiatuba 4
Itanhaém 1
Itapetininga 1
Itaquaquecetuba 3
Itu 1
Itupeva 1
Jacareí 2
Jaguariuna 2
Jales 1
Jandira 1
João Ramalho 1
José Bonifácio 1
Jundiaí 2
Louveira 1
Macedônia 1
Mairiporã 14
Marília 1
Mauá 23
Meridiano 1
Mogi das Cruzes 5
Olímpia 1
Osasco 15
Paulínia 2
Peruíbe 6
Piedade 1
Piracaia 1
Pirassununga 1
Pindamonhangaba 3
Poá 5
Praia Grande 3
Presidente Venceslau 2
Ribeirão Pires 15
Ribeirão Preto 2
Rio Grande da Serra 2
Santo André 47
Santos 25
São Bernardo do Campo 35
São Caetano do Sul 14
São Carlos 1
São José do Rio Preto 12
São José dos Campos 5
São Paulo – Capital 1314
Sertãozinho 5
Sorocaba 15
Sumaré 2
Suzano 1
Taboão da Serra 2
Taquaritinga 1
Taubaté 4
Vinhedo 1
Votuporanga 2

Veja também: