A decisão foi unânime, com os conselheiros Lenisa Rodrigues Prado, Luis Henrique Bertolino Braido, Gustavo Augusto Freitas de Lima e Sérgio Costa Ravagnani acompanhando o voto do relator Luiz Augusto Hoffmann.

Em seu voto, Hoffmann, disse que não foram identificadas preocupações concorrenciais referentes aos mercados de atacado de distribuição e postos de revenda de combustíveis.

Já no varejo de autosserviço – supermercados, hipermercados, atacarejos e clubes de compras – a combinação dos negócios do grupo Carrefour com o grupo Big Brasil "tem potencial de gerar exercício de poder de mercado em nove localidades diferentes", diz nota do Cade.

Os grupos Carrefour e Big são, respectivamente, o primeiro e o terceiro maiores agentes econômicos no Brasil.

O Carrefour Brasil terminou o primeiro trimestre com 779 pontos de venda, sendo 252 da marca Atacadão. No atacarejo, o Assaí é o principal rival do Carrefour.

O acordo em controle de concentrações (ACC) firmado tem o objetivo de afastar possíveis efeitos anticompetitivos. O documento prevê a venda de 14 lojas, das quais 11 são hipermercados ou atacarejos atualmente controlados pelo grupo Big nos municípios de Itabuna/BA, Juazeiro do Norte/CE, Maceió/AL, Olinda/PE, Paulista/PE, Recife/PE, Gravataí/RS, Santa Maria/RS e Viamão/RS.

As empresas não poderão readquirir as unidades desinvestidas por um período determinado no acordo, e estão obrigadas a comunicar ao Cade quaisquer operações envolvendo supermercados, hipermercados, atacarejos e clubes de compras, ainda que desobrigadas de notificação de atos de concentração.

Em janeiro, a superintendência do Cade já tinha recomendado a aprovação da transação, condicionando o negócio à venda de parte das lojas de atacarejo.

Em março de 2021, o Carrefour Brasil fechou a compra do Grupo Big (ex-Walmart Brasil), que opera uma rede com 8 bandeiras e 387 lojas, sendo 35 unidades licenciadas do clube de compras Sam's Club, 107 hipermercados Big e Big Bompreço, 99 supermercados Super Bompreço e Nacional, 97 lojas de vizinhança Todo Dia, 49 atacarejos Maxxi Atacado e 13 postos de combustíveis.

O plano é converter as unidades Maxxi para a bandeira Atacadão e parte das lojas Big e Big Bompreço para as bandeiras Atacadão ou Sam’s Club. As demais lojas seriam convertidas para a bandeira do hipermercado Carrefour.

No início do mês, o CEO do Carrefour Brasil, Stéphane Maquaire, disse esperar um efeito positivo "muito forte" nas margens de lucro das lojas do Big após convertidas para os formatos do grupo.

Com a decisão do Cade, o Groupe Carrefour passa a deter 67,7% de participação do Grupo Carrefour Brasil; a Península Participações, 7,2%; e Advent e Walmart, juntos, 5,6%.

Veja também: