Este será o primeiro ano do Festival de Tambaqui em Brasília, mas ele já ocorre há três anos no município de Ariquemes, em Rondônia. A produção do  tambaqui é um dos pilares da economia rondoniense. O evento tem como foco mostrar em nível nacional a importância alimentar do pescado produzido em água doce na Amazônia.

O alimento veio de Rondônia em um caminhão frigorífico e foi doado pela Associação dos Criadores de Peixes de Ariquemes e Região (Acripar).

Na próxima quarta-feira (07) a partir das 10:00 horas, 6 mil quilos de tambaqui da Amazônia assados na brasa, totalizando mais de 4 mil bandas sem espinhas, serão distribuídos ao público em kits preparados e temperados prontos para o consumo.

O Festival tem como  objetivo mostrar a qualidade, o sabor e sanidade do pescado produzido em cativeiro, sem afetar o meio-ambiente, gerando emprego e renda nas áreas urbanas e rurais.  

Jorge Seif Junior, secretário de Aquicultura e Pesca do Ministério da  Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SAP/MAPA) destacou no dia 4 de  julho, em live via rede social juntamente com o presidente Jair  Bolsonaro, da parceria dos governos do Estado de Rondônia, do Distrito  Federal, MAPA e parceiros sobre a finalidade de divulgar o tambaqui. “É um peixe 100% brasileiro, e  muito brasileiros não o conhecem,” disse o secretário.

O  tambaqui é uma espécie nativa da Amazônia, e tem sido uma questão de  interesse de pesquisadores e aquicultores devido à sua adaptação à  produção intensiva, crescimento rápido, aceitação ao alimento industrial e o alto valor gastronômico de sua carne. É consumido na região Amazônica desde do século 19.

Historicamente a piscicultura teve seu desenvolvimento na agricultura  familiar, por meio dos incentivos de hora máquinas do governo de Rondônia para a construção de tanques escavados. Na atualidade o Estado possui 4.300 empreendimentos cadastrados e licenciados exclusivamente para  comercialização e produção, ocupando uma área de 16 mil hectares de  espelho d’água, com uma projeção de produção de 95 mil toneladas ao  ano (Fonte: Sedam, 2018).

A exportação do tambaqui cultivado em Rondônia teve início em 2017 com destino ao Vietnã. Em 2019, de janeiro a junho, foram exportadas 260 toneladas para o Peru, Bolívia e 18 estados brasileiros.

Degustando o tambaqui de Rondônia

Na noite desta terça-feira (6), na sede da Confederação Nacional de Agricultura, será servido um jantar com pratos à base de tambaqui para 180 convidados, entre empresários, autoridades, jornalistas e representantes de embaixadas sediadas em Brasília. Na ocasião, será assinado um convênio de cooperação entre o Sebrae e o ministério da Agricultura para apoiar a piscicultura nacional.

O presidente Jair Bolsonaro apoia a iniciativa e deverá prestigiar o  festival, informou o secretário da Pesca, Jorge Seif Junior. “Incentivar  o consumo de pescado é uma das metas que foram estabelecidas pelo  governo”.

Rondônia produz mais 75 mil toneladas anuais de tambaqui em 4.800 pequenas e médias propriedades rurais. O pescado rondoniense vem sendo comercializado em 18 estados brasileiros e exportado para o Peru e Ásia.
Foto: Renata Silva, Secom / Governo de Rondônia

Atualização 07/08/2019 20:44 - Fotos: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Tambaqui assado na Esplanada dos Ministérios

Brasília recebe o Festival Tambaqui da Amazônia

Brasília recebe o Festival Tambaqui da Amazônia

Brasília recebe o Festival Tambaqui da Amazônia

Brasília recebe o Festival Tambaqui da Amazônia

Brasília recebe o Festival Tambaqui da Amazônia