No último trimestre de 2021, será fechada a fábrica dos jipes Troller, em Horizonte, município da região metropolitana de Fortaleza.

A decisão afeta 5,3 mil empregos diretos nas três fábricas que estão sendo desativadas. O maior contingente está na unidade de Camaçari (BA), com 4 mil postos formais de trabalho. Em Taubaté (SP), são 830 funcionários, que se somam a 470 trabalhadores de Horizonte (CE).

O presidente do sindicato dos metalúrgicos de Camaçari, Júlio Bonfim, diz que o anúncio aos trabalhadores foi feito às 14 horas, via videoconferência, pelo presidente da Ford na América do Sul, Lyle Watters.

"Fomos pegos de surpresa. Fomos chamados às 14 horas e anunciaram o fechamento", diz Bonfim.

Se somados os emplacamentos das versões hatch e sedã do Ka, o veículo montado em Camaçari teria sido o 2º mais vendido em 2020.

De acordo com a Ford, o fechamento das fábricas brasileiras ocorre porque a montadora está procurando atender consumidores da América do Sul com “um portfólio empolgante de veículos conectados, e cada vez mais eletrificados, incluindo SUVs, picapes e veículos comerciais, provenientes da Argentina, Uruguai e outros mercados”.

“A Ford está presente há mais de um século na América do Sul e no Brasil e sabemos que essas são ações muito difíceis, mas necessárias, para a criação de um negócio saudável e sustentável”, disse Jim Farley, presidente e CEO da Ford.

“Estamos mudando para um modelo de negócios ágil e enxuto ao encerrar a produção no Brasil, atendendo nossos consumidores com alguns dos produtos mais empolgantes do nosso portfólio global", completou.

A decisão da Ford foi informada ao governador Rui Costa durante reunião virtual com representantes da empresa nesta segunda-feira (11).

O governo da Bahia disse em comunicado oficial que procurou a Embaixada da China para sondar investidores para assumir o negócio no Estado.

A empresa manterá funcionando apenas o Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia, o campo de provas, no município paulista de Tatuí, e sua sede administrativa para a América do Sul, na capital de São Paulo.

Em rede social, o governador de São Paulo disse que foi uma "decisão global".

"Lamento decisão da Ford de encerrar sua produção de automóveis no Brasil. A medida afeta o fechamento de fábricas no Ceará, Bahia e SP. Foi decisão global da Ford Motors".

"No Estado de SP, serão mantidos 700 trabalhadores em atividades no município de Tatuí e na Capital", acrescentou.

Em Taubaté, a Ford vinha adotando medidas como redução de salários e jornadas – beneficiando-se de um programa federal de manutenção de empregos –, paralisação da produção e demissões.

"O Brasil fez um esforço imenso para manter a indústria automobilística de pé. Entendemos os impactos da pandemia, concedemos incentivos e benefícios e não é possível que a balança pese a favor de um só. É preciso sentar, conversar e buscar um caminho. Cada vaga de emprego é preciosa", comentou Arthur Lira, candidato à presidência da Câmara dos Deputados.

Atualização 12/01 - Júlio Bonfim disse que a decisão da Ford causará o fechamento de 72 mil postos de trabalho.

"Nós temos um acordo coletivo aqui, em que empresas parceiras de autopeças produzem nas mesmas condições como trabalhador direto Ford. Então só somando essas empresas são oito mil, mais quatro mil trabalhadores de empresas satélites que fornecem diretamente para a Ford", disse.

"São 12 mil trabalhadores diretos, e para cada trabalhador direto demitido, são cinco trabalhadores indiretos. Estou falando de 60 mil trabalhadores indiretos que perdem seus empregos e 12 mil diretos. São 72 mil trabalhadores", acrescentou.

Veja também: